Célio Sousa, vitória na despedida

Célio Sousa (Rádio Popular-Boavista) despediu-se do ciclismo profissional com uma vitória em casa. O adeus à competição foi celebrado com o triunfo do 1º Circuito Ribeiro da Silva em Lordelo, Paredes.

Rafael Silva: “Vivi o pior momento da minha vida pessoal”

Rafael Silva pedala a segunda temporada na equipa continental Efapel, um ano de sentimentos mistos para o corredor de 24 anos que tem vindo a consolidar-se como um dos melhores jovens sprinters lusos da actualidade. Não somos somente nós que o afirmamos, é também a opinião do tetracampeão da Volta a Portugal Marco Chagas, partilhada na RTP aquando da transmissão da prova rainha.

Entrevista a Paulo Silva, 2º na Taça de Portugal Sub-23

Paulo Silva é um dos corredores da estreante equipa de clube Liberty Seguros-Carglass. Acompanhamos desde o escalão júnior este jovem corredor, que aos 20 anos completa a segunda temporada no escalão sub-23, mantendo a regularidade de resultados alcançada nos anos transactos.

Juventude reina no Circuito da Moita

A juventude tomou conta do Circuito da Moita. Os sub-23 assaltaram o pódio na Marinha Grande, ficando a vitória da linha de meta nos pedais do campeão do mundo e da europa de pista Ivo Oliveira (Liberty Seguros-Carglass). O dia tornou-se mais especial pela presença da campeã lusa Isabel Caetano, dona de um palmarés inigualável no ciclismo feminino português.

Dia de emoções na estrada e pista da Malveira

Permitam-me escrever um texto totalmente pessoal deste domingo de ciclismo na Malveira. O pelotão nacional apresentou-se em pouca quantidade, mas grande qualidade nas provas de estrada e pista realizadas na região saloia de Mafra. Luís Fernandes (W52-Quinta da Lixa) batalhou pela vitória no circuito de estrada, Rafael Reis (Team Tavira) e Leonel Coutinho (LA Alumínios-Antarte) brilharam nas provas de pista.

Entrevista Joaquim Andrade: Volta a Portugal, calendário nacional, Portugal e Espanha, formação São João de Ver

A temporada lusa velocipédica está no seu epílogo. Num ano de muita competição nacional, calendário renovado, número de equipas consolidado e jovens promessas a acrescentar valor ao pelotão, é tempo de fazer um pequeno balanço ao ano de 2015. Em plena fase dos tradicionais circuitos pós Volta a Portugal, o Cycling & Thoughts esteve à conversa com Joaquim Andrade no Circuito de São Bernardo, em Alcobaça. 

Manuel Cardoso triunfa em Alcobaça

Alcobaça recebeu o pelotão nacional para o Circuito de São Bernardo. Uma festa do ciclismo celebrada com um estrondoso sprint de Manuel Cardoso (Team Tavira), que arrebatou a linha de meta frente a Pedro Paulinho (LA Alumínios-Antarte) e Bruno Sancho (Anicolor).

Live Love Ride Portugal, descobrir o país a pedalar

Já imaginaram como seriam umas férias ao lado da melhor companhia do mundo? Sim, essa máquina que nos apaixona o ano inteiro, acompanha dias sem fim, escuta as nossas confissões, ajuda a libertar das tensões diárias, leva a lugares de infinita beleza, dá ao corpo o que a mente necessita naquele preciso momento. Sim, a bicicleta que nos entende na perfeição e se torna na melhor companhia para uns dias inesquecíveis a pedalar num país como Portugal, de lugares encantados e recantos por descobrir. Uma experiência enriquecedora, que pode ser vivida com a Live Love Ride Portugal.

Diego Rubio, Rui Carvalho e João Maio vencedores da Taça de Portugal 2015

A Taça de Portugal Liberty Seguros conheceu este domingo os vencedores de 2015. Diego Rubio (Efapel) venceu em elite, Rui Carvalho (Anicolor) em sub-23 e o companheiro João Maio em sub-23 de 1º ano. O triunfo da última prova pertenceu a Pedro Paulinho (LA Alumínios-Antarte).

Filipe Cardoso soma vitória no GP Mortágua

Filipe Cardoso ofereceu mais uma vitória à equipa Efapel. O recente vencedor da mítica etapa da Sra. da Graça na Volta a Portugal conquistou este sábado o 15º Grande Prémio Mortágua, quarta e penúltima prova da Taça de Portugal liderada em elite pelo companheiro Diego Rubio.

Audiências Volta a Portugal 2015

A 77ª Volta a Portugal realizou-se entre os dias 29 de Julho e 9 de Agosto. Gustavo Veloso (W52-Quinta da Lixa) foi o grande vencedor da prova rainha do calendário nacional, que ocupou o espaço mediático do canal público de televisão durante esse período. A RTP1 transmitiu o directo das etapas diariamente a partir das 16h e em seguida apresentamos a sua audiência, dados obtidos através da empresa de medição de audiências GFK/CAEM. Como os números comprovam, o ciclismo cativa um largo número de espectadores.

O papel dos media no ciclismo português

Abordar o papel dos meios de comunicação social no ciclismo português é uma tarefa complicada, já que é praticamente inexistente ao longo do ano, surgindo apenas no grande momento da temporada com a Volta a Portugal. Este ano, nem na Volta os media deram o merecido relevo ao ciclismo.

Et10 Volta a Portugal: consagração de Gustavo Veloso

Lisboa recebeu os vencedores da 77ª Volta a Portugal. Gustavo Veloso (W52-Quinta da Lixa) resplandeceu de amarelo ao ser o grande vencedor da rainha lusitana, somando mais duas coloridas camisolas dos pontos e do combinado. Jóni Brandão e Alejandro Marque (Efapel) brilharam em 2º e 3º da geral. Bruno Silva (LA Alumínios-Antarte) foi o rei trepador, Aleksey Rybalkin (Lokosphinx) o jovem mais forte e a W52-Quinta da Lixa soberana entre as equipas, seguida da Rádio Popular-Boavista e da LA Alumínios-Antarte. O italiano Matteo Maluccelli (Team Idea 2010 ASD) conquistou a meta da capital lusitana. 

Et9 Volta a Portugal: contra-relógio agridoce

Para se ganhar uma volta por etapas não se pode descurar um dos seus dias cruciais. A jornada do contra-relógio pode ditar a consolidação da liderança, a subida na geral, o adeus ao pódio final. Desde uma avaria mecânica até à maior capacidade dos adversários, cada detalhe marca irremediavelmente o final de uma corrida. Hoje, o decisivo esforço individual sublinhou o que desde o primeiro dia se viu: Gustavo Veloso (W52-Quinta da Lixa) é o ciclista mais forte e completo da 77ª Volta a Portugal. 

Et8 Volta a Portugal: furacão Prades em dia de Tavira

Castelo Branco recebeu um emocionante final ao sprint. Samuel Caldeira (W52-Quinta da Lixa) tinha marcado este dia como o mais propício para alcançar uma vitória, mas nos derradeiros metros surgiu um furacão chamado Eduard Prades varrendo o sprinter luso para segundo lugar e dando à Caja Rural-Seguros RGA a segunda vitória na 77ª Volta a Portugal.

Et7 Volta a Portugal: os mais fortes na Torre

Primeiro e segundo no alto da Torre, os mais fortes da 77ª Volta a Portugal. Delio Fernández venceu a etapa rainha, Gustavo Veloso consolidou a liderança. Se primeiro e segundo da geral demonstram a cada dia uma fibra difícil de destronar, a W52-Quinta da Lixa dirigida por Nuno Ribeiro reflecte uma mecânica organizada e implacável para com os adversários no decorrer de cada etapa. 

Et6 Volta a Portugal: regular ou irregular, eis a questão

Uma grande volta tem sempre um momento polémico. Apimenta a corrida, exalta os ânimos entre os adeptos, aumenta a tensão no campo de batalha. A Volta a Portugal, “Grandíssima” como é conhecida internacionalmente, não foge à regra das grandes voltas e hoje brindou-nos com um final a toda a velocidade envolto numa discussão sobre a justeza do sprint de José Gonçalves (Caja Rural-Seguros RGA) sobre o camisola amarela Gustavo Veloso (W52-Quinta da Lixa). Regular ou irregular, eis a questão.

Et5 Volta a Portugal: É portuguesa, com certeza!

A Volta a Portugal é portuguesa. Salvo a redundância, é portuguesa porque percorre as nossas estradas, acolhe as nossas equipas, glorifica os corredores do nosso pelotão, traz à estrada um número de adeptos que nenhuma outra Volta no país consegue cativar. E, claro, oferece-nos fulgurantes vitórias como a de José Gonçalves (Caja Rural-Seguros RGA) no alto de Santa Luzia. 

Et4 Volta a Portugal: Graça, não fujas de mim

Já tinha tentado, sem êxito. Hoje, Filipe Cardoso (Efapel) conseguiu entrar na fuga e chegar à vitória da quarta etapa da Volta a Portugal. Sprinter de natureza, robusto na pedalada, usou a sua arma letal de perito nas descidas para ganhar uma vantagem confortável na abordagem à subida-chave do dia. No alto da Sra. da Graça, resplandeceu de felicidade ao agarrar aos 31 anos a primeira vitória na prova rainha. Uma estreia em plena jornada mítica de Mondim de Basto. 

Et3 Volta a Portugal: tudo menos transição

A Volta a Portugal ofereceu este sábado a famosa etapa de transição, essa etapa mais ou menos plana que antecede grandes chegadas em alto. Amanhã, a Sra. da Graça promete muita emoção e mais definição nos lugares cimeiros da geral. Hoje, o que o pelotão viveu foi tudo menos transição. Um sobe e desce constante, muito para além das três subidas de 3ª e 4ª categoria do dia.