Resultados Equipas Lusas 2021

Esta página será actualizada no decorrer da época 2021 com os melhores resultados obtidos pelas equipas continentais e equipas de clube lusas, que constituem o pelotão elite/sub-23.

Época lusa de estrada: protagonistas de 2020 e antevisão de 2021

A poucos dias da abertura da temporada lusa de estrada, olhamos aos protagonistas da época passada, aos resultados mais evidenciados, como também às principais mudanças na composição das equipas portuguesas para tentar perceber qual a que poderá brilhar mais em 2021 [ver pelotão e calendário luso 2021].
 

Calendário e equipas lusas de estrada 2021

Abril promete ser o mês do regresso das competições de ciclismo em Portugal. Nos dias 10 e 11, Anadia irá receber o pelotão elite e sub-23, com as equipas de clube a disputarem no sábado o Circuito CAR Anadia, enquanto as equipas continentais irão disputar no domingo a Prova de Abertura – Região de Aveiro, ambas pontuáveis para a Taça de Portugal Jogos Santa Casa.
 

Rafael Silva: “Estava na altura de aceitar outro desafio”

Dizem que a vida é feita de ciclos de sete anos, surgindo mudanças ao final de cada um desses ciclos. Ao fim de sete épocas com a Efapel, Rafael Silva mudou de ares para ingressar em 2021 na equipa Antarte-Feirense. Curiosamente, o corredor de 30 anos volta a estar ao lado de um dos patrocinadores com quem abriu o profissionalismo em 2013, a empresa Antarte, de Mário Rocha.
 
Rafael Silva

Daniel Viegas: “Strade Bianche foi uma das corridas mais difíceis da minha vida”

A equipa Eolo-Kometa, sediada em Itália, subiu em 2021 ao escalão ProTeam e no conjunto de 20 corredores brilha um jovem português. O ciclista Daniel Viegas, de 23 anos, faz parte da estrutura de Alberto Contador e Ivan Basso pelo quinto ano consecutivo. No passado dia 6 de Março, estreou-se na clássica Strade Bianche e foi esse o mote para o início da conversa do Cycling & Thoughts com Daniel Viegas.
 
Daniel Viegas no final de Strade Bianche (© Maurizio Borserini)

A história dos corredores lusos na Strade Bianche

A Strade Bianche é uma jovem corrida que depressa apaixonou os amantes da modalidade, devido à complexidade e consecutiva passagem em sectores de terra batida, o famoso ‘sterrato’. Nascida em 2007, a clássica italiana cumpriu a 15ª edição em 2021 com três corredores portugueses no pelotão. João Almeida (Deceuninck-Quick Step), André Carvalho (Cofidis) e Daniel Viegas (Eolo-Kometa) estrearam-se nesta competição e todos a concluíram, fechando em 37º e 87º respectivamente na classificação geral, tendo o último chegado fora do tempo limite.
 
© Strade Bianche

Pedro Andrade: “Gostava muito de ganhar a minha primeira corrida pela equipa”

O português Pedro Andrade encontra-se a correr pelo segundo ano consecutivo na Hagens Berman Axeon, equipa continental norte-americana dirigida por Axel Merckx. Nascido numa família de ciclistas, o jovem de 20 anos seguiu as pedaladas do pai Joaquim Andrade, um dos melhores corredores do pelotão nacional e actual director desportivo da equipa continental Antarte-Feirense, e também do avô Joaquim Andrade, vencedor da Volta a Portugal de 1969.
 
Pedro Andrade no Paris-Tours Espoir 2020 (© Audrey Duval)

João Almeida 7º no Ranking Mundial UCI liderado por Primoz Roglic

A excelente performance de João Almeida (Deceuninck-Quick Step) no recente UAE Tour, nos Emirados Árabes Unidos, valeu-lhe a subida ao sétimo lugar do Ranking Mundial UCI. Ao finalizar em terceiro lugar na classificação geral da competição emiradense, o corredor português angariou 215 pontos, totalizando no ranking 1583.33 pontos a 2 de Março, dia em que foi actualizada a tabela da União Ciclista Internacional.
 
João Almeida (© Wout Beel / Deceuninck-Quick Step)

João Almeida 3º na geral, Tadej Pogacar conquista UAE Tour

A juventude continua a dar cartas no ciclismo internacional. Imagem disso mesmo foi o desenrolar da terceira edição do UAE Tour, nos Emirados Árabes Unidos, onde o primeiro e o terceiro da classificação geral terminaram com dois jovens a ocupar os seus lugares. O esloveno Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) conquistou o lugar mais alto do pódio, enquanto o português João Almeida (Deceuninck-Quick Step) fechou no terceiro lugar, a 1m02s. No meio dos dois corredores, de 22 anos de idade, ficou na segunda posição o britânico de 28 anos Adam Yates (Ineos Grenadiers), a 35 segundos.
 
João Almeida terceiro na classificação geral do UAE Tour (©LaPresse / UAE Tour)

Bennett bisa no UAE Tour, Almeida no pódio da geral a uma etapa do final

O irlandês Sam Bennett (Deceuninck-Quick Step), companheiro de equipa de João Almeida, bisou no UAE Tour ao conquistar a sexta etapa em Palm Jumeirah. Os lugares cimeiros da classificação geral não sofreram modificações, com Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) a manter a liderança seguido em segundo lugar por Adam Yates (Ineos Grenadiers), a 45 segundos, e João Almeida em terceiro, a 1m12s.
 
Sam Bennett conquista segunda vitória em etapa no UAE Tour (© LaPresse / UAE Tour)

João Almeida ao ataque em Jebel Jais

Restavam menos de 2 quilómetros para o final quando João Almeida (Deceuninck-Quick Step) decidiu tentar uma vez mais a sua sorte nos Emirados Árabes Unidos, desferindo um ataque no grupo de favoritos à classificação geral do UAE Tour. O corredor português tentou alcançar Alexey Lutsenko (Astana-Premier Tech), o último resistente da fuga do dia, mas foi Jonas Vingegaard (Team Jumbo-Visma) quem o conseguiu fazer num contra-ataque que levou o dinamarquês de 24 anos à vitória da quinta etapa, em Jebel Jais, seguido na meta por Tadej Pogacar (UAE Team Emirates), que manteve a liderança da prova.
 
João Almeida ao ataque na quinta etapa do UAE Tour (© LaPresse / UAE Tour)

Sam Bennett atinge 50ª vitória da carreira

O irlandês Sam Bennett (Deceuninck-Quick Step) alcançou o primeiro triunfo da temporada, a 50ª vitória profissional da sua carreira, ao conquistar a quarta etapa do UAE Tour, nos Emirados Árabes Unidos. A classificação geral não sofreu alterações, com Tadej Pogacar (UAE-Team Emirates) a manter a liderança e o português João Almeida (Deceuninck-Quick Step) o terceiro lugar, a 1m03s.
 
Sam Bennett conquista 50ª vitória profissional da carreira (© LaPresse / UAE Tour)

João Almeida mantém-se firme no pódio do UAE Tour

O português João Almeida (Deceuninck-Quick Step) deu tudo ao longo da subida final de Jebel Hafeet, mantendo-se firme e forte na perseguição à camisola vermelha da liderança do UAE Tour. Cruzou a meta em sexto e manteve-se no pódio da classificação geral, descendo ao terceiro lugar, a 1m03s do esloveno Tadej Pogacar (UAE-Team Emirates), que conquistou a etapa-rainha e consolidou a liderança da prova disputada nos Emirados Árabes Unidos.
 
João Almeida manteve-se sempre no comando da perseguição ao longo da subida de Jebel Hafeet 
(© Tim De Waele / Getty Images)

Sólido contra-relógio eleva João Almeida a 2º no UAE Tour

Pelo segundo dia consecutivo, o português João Almeida (Deceuninck-Quick Step) destacou-se entre os melhores corredores no UAE Tour, nos Emirados Árabes Unidos. A jovem estrela da equipa belga protagonizou um sólido contra-relógio em Al Hudayriat Island, terminando com o sexto melhor tempo do dia e subindo a segundo da classificação geral, a escassos 5s do novo líder Tadej Pogacar (UAE-Team Emirates).
 
João Almeida lidera pontos e sprints intermédios no UAE Tour (© LaPresse / UAE Tour)

João Almeida bonifica e ocupa primeiros lugares no UAE Tour

A jovem estrela portuguesa João Almeida (Deceuninck-Quick Step) iniciou a terceira edição do UAE Tour em destaque. O corredor de 22 anos aproveitou os sprints intermédios da primeira etapa para angariar seis preciosos segundos, terminando o dia em quarto lugar da classificação geral. Mathieu van der Poel (Alpecin-Fenix) foi o vencedor do dia.
 
João Almeida lidera a camisola preta dos sprints intermédios (© LaPresse / UAE Tour)


Mário Costa e Ana Santos conquistam títulos nacionais de ciclocrosse

Nesta manhã de domingo, o Centro de Alto Rendimento de Anadia recebeu o Campeonato Nacional de Ciclocrosse com os betetistas Mário Costa (Axpo/FirstBike Team/Vila do Conde) e Ana Santos (X-Sauce Factory Team) a conquistarem os títulos nacionais na categoria elite.
 
Mário Costa e Ana Santos campeões nacionais de ciclocrosse (© FPC)

Calendários Lusos de Ciclismo 2021

O ano de 2021 é uma incógnita em relação à realização das diversas competições agendadas para cada vertente do ciclismo, devido à situação pandémica que o mundo atravessa. Em Portugal, a Federação Portuguesa de Ciclismo divulgou os calendários de provas de Estrada, Pista, BTT, Ciclocrosse, BMX e Paraciclismo, bem como a agenda prevista para a Selecção Nacional, estando todos sujeitos a possíveis alterações no decorrer da temporada.

 

A força incomensurável de Sandra dos Santos: “Tive muita sorte de nunca ter ficado paralisada”

Foi o título de campeã nacional de ciclocrosse, em 2017, que deu a conhecer Sandra dos Santos aos fãs lusos do ciclismo feminino. No ano seguinte, repetiu a conquista do título nacional na mesma vertente e um ano mais tarde, em 2019, cumpriu um dos seus maiores objectivos de carreira: integrar uma equipa profissional de ciclismo de estrada, a formação basca Eneicat, da categoria Women’s WorldTour.
 
Sandra dos Santos (© Instagram atleta)

André Carvalho na Cofidis em 2021: “Espero ter as minhas oportunidades"

A equipa francesa Cofidis, Solutions Crédits anunciou a contratação do português André Carvalho, de 23 anos, para a temporada de 2021. Estivemos à fala com o jovem corredor de Vila Nova de Famalicão, que se prepara para embarcar na mais importante aventura da sua carreira, o WorldTour.
 

Volta a Portugal 2020 garante boas audiências à RTP

Em 2020, a Volta a Portugal foi para a estrada em formato de Edição Especial. Em consequência da pandemia, a prova rainha do ciclismo nacional foi encurtada para nove dias de competição, longe do tradicional mês de Agosto, celebrando-se entre 27 de Setembro e 5 de Outubro, sob a organização da Federação Portuguesa de Ciclismo. A estação pública de televisão RTP foi novamente o principal veículo de transmissão da prova, ultrapassando os 500.000 telespectadores no derradeiro dia de consagração de Amaro Antunes (W52-FC Porto) como vencedor da camisola amarela.
 
Final da Volta a Portugal 2020, Lisboa (© Helena Dias)

Entrevista Inside com Manolo Saiz

Em colaboração com o INSIDE - para quem gosta do pedal, e sob o mote da 75ª edição da Vuelta a España, entrevistámos Manolo Saiz, director desportivo espanhol, que teve a seu cargo equipas como a conhecida equipa profissional Once, onde tivemos José Azevedo, ou mais recentemente a equipa sub-23 Aldro, na qual também tivemos um corredor luso, Tiago Antunes.
 
As melhores recordações de Manolo Saiz na Vuelta a España, a vitória em 2020 de Primoz Roglic (Jumbo-Visma), a luta pela geral entre Roglic e Richard Carapaz (Ineos-Grenadiers), a diferente táctica de corrida de hoje em comparação com os anos da equipa Once, o percurso da corrida e os portugueses na 75ª edição foram os temas abordados.

Museu Nacional do Desporto, um lugar a visitar

Escondido no centro de Lisboa, mais precisamente na Praça dos Restauradores, o Museu Nacional do Desporto mora no histórico Palácio Foz, também designado de Palácio Castelo Melhor, um edifício projectado no séc. XVIII e com final de construção de meados do séc. XIX. Diante da sua fachada, deparamo-nos com uma bonita escadaria dupla em pedra, de varandim trabalhado, guardando ao centro uma fonte desenhada pelo arquitecto Luís Benavente. Um harmonioso jardim e a estátua de uma ninfa, de autoria de Leopoldo de Almeida, enriquecem o espaço envolvente.
 


O que a pista contribui para a carreira de Vicente de Mateos e Oscar Pelegrí

O pelotão nacional conta com a presença de dois corredores espanhóis, que têm demonstrado uma forte progressão na estrada: Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano) e Oscar Pelegrí (Feirense). Os dois nutrem um forte interesse pela vertente de pista, sendo por diversas ocasiões convocados a participar em eventos internacionais pela Selecção de Espanha. Com a valiosa colaboração de Luis Román-Mendoza, especializado em ciclismo de pista, fomos tentar descobrir qual a importância da vertente de pista na carreira de De Mateos e Pelegrí.

Vicente García de Mateos e Oscar Pelegrí [© Helena Dias]


Amore Infinito por João Almeida e Rúben Guerreiro

Ao longo de três semanas, os portugueses ganharam um Amore Infinito por João Almeida (Deceuninck-Quick Step) e Rúben Guerreiro (EF Pro Cycling). Os dois corredores lusos, presentes na 103ª edição do Giro d’Italia, escreveram uma importantíssima página no ciclismo nacional e internacional. João fechou a sua primeira grande volta no quarto lugar da classificação geral, após 15 dias na liderança da Maglia Rosa. Rúben terminou a sua segunda grande volta e primeiro Giro a vencer a Maglia Azzurra de rei da montanha e a nona etapa, em Roccaraso.

 

Rúben Guerreiro (© EF ProCycing) e João Almeida (© Wout Beel)

Amaro Antunes: “Caso fique em Portugal, os planos não passam por mudar de equipa”

Aos 29 anos, Amaro Antunes alcançou a vitória sonhada por muitos corredores portugueses: a camisola amarela da Volta a Portugal. Semanas volvidas da importante conquista da prova rainha nacional, o ciclista da W52-FC Porto divide o tempo entre a família, os treinos, as inúmeras solicitações para entrevistas e o seu Clube de Ciclismo Amaro Antunes, projecto de formação de jovens ciclistas iniciado em 2017. Entre a azáfama diária, conseguimos falar com Amaro Antunes sobre a vitória da Volta a Portugal e o que o futuro lhe reserva.

 


João Almeida: “Tudo o que vier a seguir é um bónus”

No comando da maglia rosa desde o final da terceira etapa, o ciclista português João Almeida fala sobre o sonho rosa no site da sua equipa Deceuninck-Quick Step.

 

João Almeida (© LaPresse)

O miúdo merece ganhar

Tem apenas 22 anos e enverga a camisola rosa há 13 dias consecutivos. Nunca antes na história do Giro d’Italia um corredor tão jovem tinha segurado a liderança da classificação geral por tantos dias. João Almeida (Deceuninck-Quick Step) é o português que está a dar a volta à cabeça de todos os fãs de ciclismo, quer sejam lusos ou estrangeiros. “O miúdo merece ganhar”, ouve-se pelo país e lê-se nas redes sociais.

 

João Almeida exausto no final da 15ª etapa (© LaPresse)


João Almeida e Rúben Guerreiro imperam no Giro d’Italia

Rúben Guerreiro e João Almeida (©  LaPresse)

Portugal vive dias de tremendo orgulho no que toca ao ciclismo. Tudo se deve a dois corredores, que têm marcado o Giro d’Italia com a sua irreverência e qualidade. João Almeida (Deceuninck-Quick Step) e Rúben Guerreiro (EF Pro Cycling) superam para uns, confirmam para outros, as expectativas em si colocadas quanto ao potencial do qual são donos. O primeiro lidera a geral individual e da juventude há sete dias, o segundo venceu uma etapa e lidera a classificação da montanha.

5 Conclusões da Volta a Portugal 2020



1. O VENCEDOR

 

Amaro Antunes conseguiu a tão sonhada camisola amarela. O corredor de 29 anos tornou-se no mais recente vencedor da Volta a Portugal, após o regresso ao pelotão nacional vindo de duas épocas no estrangeiro com a CCC, equipa polaca com a qual venceu, em 2018 no escalão Profissional Continental, a última etapa e a geral do Tour of Malopolska e, em 2019 no WorldTour, esteve perto de vencer uma etapa no Giro d’Italia, ao ser 3º na chegada a San Martino di Castrozza. Chegado a 2020, entregou à W52-FC Porto não só a vitória da geral, como também o triunfo da mítica etapa da Sra. da Graça. O Futebol Clube do Porto chegou assim à quinta vitória consecutiva na Volta a Portugal, contando já com 17 conquistas no total, desde que o clube chegou ao ciclismo em 1945. Após uma pausa, regressou à modalidade em 2016, juntando-se à W52, que já contava com três vitórias.

Amaro Antunes conquista Volta a Portugal: “Sinto-me realizado”

Aos 29 anos, Amaro Antunes conquistou a maior vitória da sua carreira, a camisola amarela da Volta a Portugal Edição Especial. Além da classificação geral, a W52-FC Porto triunfou por equipas e levou para casa a vitória do contra-relógio final, através de Gustavo Veloso, segundo na geral final.

 

Amaro Antunes conquista Volta a Portugal 2020 (© HelenaDias)

António Carvalho triunfa em Setúbal

António Carvalho (Efapel) atacou às primeiras rampas da Arrábida e uma avaria quase que lhe roubou o sonho de vencer em Setúbal. Contudo, a sorte e a qualidade de trepador estiveram do seu lado, agarrando mais uma vitória na prova rainha, após ter conquistado a Senhora da Graça na edição transacta. Amaro Antunes (W52-FC Porto) segurou a camisola amarela, a um dia do final da Edição Especial da Volta a Portugal.

 

António Carvalho vence em Setúbal (© HelenaDias)