Viagem fotográfica à temporada lusa de ciclismo

Foi uma longa viagem efectuada pelo Cycling & Thoughts na temporada 2016. Desde estágios de equipas de clube, corridas dos sub-23 e dos profissionais, neste blog acompanhámos mais um ano do pelotão luso em diversas provas do calendário nacional.


Os heróis viveram uma época rica de momentos marcantes e são alguns desses momentos que revivemos em seguida, numa viagem fotográfica à temporada lusa de ciclismo, em jeito de homenagem a cada um dos protagonistas. Fechamos este recordar da temporada com imagens do pelotão feminino, com o talento e beleza das atletas lusas.

Esta viagem é uma pequena homenagem a cada um dos protagonistas que partilhou o sorriso, o olhar, uma conversa informal, uma entrevista profissional, a confidência de sonhos, a partilha de objectivos. Espero que este seja apenas o final de uma de muitas temporadas de sucesso na história de cada um, seja no ciclismo ou noutro rumo profissional que tomem na vossa vida.

Todos os álbuns podem ser visualizados, aqui!

Jorge Marques num dos momentos do estágio da equipa sub-23 GoldWin-Team José Maria Nicolau.
Uma forte intempérie assolou o estágio dos jovens 'lobos' da GoldWin-Team José Maria Nicolau.



Victor Valinho e João Fernandes comandam o comboio GoldWin-Team José Maria Nicolau.

A boa disposição aliada ao trabalho marcaram o estágio da equipa Moreira Congelados-Feira-Bicicletas Andrade.

Por mais sinuoso que seja o caminho, um ciclista persiste e nunca desiste (estágio Moreira Congelados-Feira-Bicicletas Andrade).

Uma equipa de ciclismo envolve muito trabalho e uma das partes fundamentais é o cuidado com a recuperação dos ciclistas. Após o treino no estágio Moreira Congelados-Feira-Bicicletas Andrade, o jovem João Santos recebe os cuidados do experiente profissional Paulo Vieira.

A sueca Team Bliz Merida foi uma das protagonistas internacionais a entrar na luta pelas corridas lusas (Volta à Maia).

Bruno Coelho, um dos jovens integrantes do projecto GoldWin-Team José Maria Nicolau (Volta à Maia).

Victor Valinho foi o elemento mais experiente na equipa dirigida por José Nicolau (GoldWin-Team José Maria Nicolau na Volta à Maia).

As quedas são um dos momentos mais duros que os ciclistas enfrentam na temporada. Marcelo Salvador superou o infortúnio na Volta à Maia.

O staff está sempre atento e pronto para entrar em campo em qualquer situação de corrida (Rui Frutas integrou o staff da GoldWin-Team José Maria Nicolau na Volta à Maia).

Pelotão da 1ª prova da Taça de Portugal Sub-23, Volta à Maia.

O imperador do pelotão luso César Fonte (Rádio Popular-Boavista) na chegada a Grândola, na Volta ao Alentejo.

Um dos maiores valores lusos, Amaro Antunes (LA Alumínios-Antarte) conquistou a camisola da montanha na Volta ao Alentejo.

O cansaço de Krists Neilands estampado no rosto. A norte-americana Axeon- Hagens Berman venceu por equipas a Volta ao Alentejo.

O ciclista internacional Nuno Bico (Klein Constantia) marcou presença na Volta ao Alentejo e viu o companheiro Enric Mas conquistar a camisola amarela.

Rui Sousa transpira ciclismo por cada poro e ano após ano a sua experiência é uma mais-valia no pelotão nacional (Volta ao Alentejo).

A chuva de champanhe é um dos momentos altos na festa do pódio (Volta ao Alentejo).

A correr em casa, o jovem João Santos deu tudo na frente do grupo pela equipa 
Moreira Congelados-Feira-Bicicletas Andrade (Volta às Terras de Santa Maria).

Luís Gomes (Liberty Seguros-Carglass) venceu a 1ª etapa ao sprint e conquistou a geral da Volta às Terras de Santa Maria.

Máxima concentração marca os momentos antes de iniciar o contra-relógio individual (equipa Maia na Volta às Terras de Santa Maria).

A presença e acompanhamento constante das provas nacionais tem marcado o mandato de Delmino Pereira na presidência da Federação Portuguesa de Ciclismo (Volta às Terras de Santa Maria).

O esforço individual leva os corredores ao limite das suas forças. André Bessa (Moreira Congelados-Feira-Bicicletas Andrade) na Volta às Terras de Santa Maria.

Rui e Ivo Oliveira (Liberty Seguros-Carglass), uma dupla de indubitável talento comprovado em pista e na estrada (Volta às Terras de Santa Maria).

O pelotão viaja pelo empedrado envolvente do Castelo de Santa Maria da Feira.

O infortúnio dita o final antecipado da corrida para um dos corredores da equipa galega Supermercados Froiz, na Volta às Terras de Santa Maria.

Pontaria certeira nos festejos de Luís Gomes pela conquista da amarela da Volta às Terras de Santa Maria.
O sorriso vitorioso de Luís Gomes, André Carvalho, Pedro Merino, Luís Mendonça e Venceslau Fernandes no final da Volta às Terras de Santa Maria.

Companheirismo, quando a vitória de um companheiro é sentida como sendo nossa. 
O vencedor da 2ª etapa Daniel Mestre e Rafael Silva (Efapel) na Volta à Bairrada.

Flores e champanhe para os heróis do dia (Volta à Bairrada).

Daniel Mestre (Efapel) viveu a sua melhor temporada, aqui ao lado
de Samuel Caldeira (W52-FC Porto) no final da 2ª etapa da Volta à Bairrada.

Preparativos para iniciar a competição (equipa Sicasal-Constantinos-Udo no Troféu Joaquim Agostinho).
Bruno Silva (LA Alumínios-Antarte) prepara meticulosamente a bicicleta para o contra-relógio individual do Troféu Joaquim Agostinho.



O campeão marroquino Soufiane Haddi (Skydive Dubai-Al Ahli Club) integrou a Selecção de Marrocos no Troféu Joaquim Agostinho.

Equipa francesa Armée de Terre abriu o contra-relógio inaugural do Troféu Joaquim Agostinho.

O esforço individual no Turcifal ofereceu belos cenários (Troféu Joaquim Agostinho).

Na sua melhor temporada, Rafael Reis (W52-FC Porto) comprovou o estatuto de melhor contra-relogista do pelotão nacional. Uma das vitórias ocorreu no prólogo do Troféu Joaquim Agostinho.

Rafael Reis (W52-FC Porto) foi o grande vencedor do Ranking APCP Ciclista do Ano 2016 (Troféu Joaquim Agostinho).

Pelo segundo ano consecutivo, João Benta (Louletano-Hospital de Loulé) foi rei de Montejunto no Troféu Joaquim Agostinho.

Rinaldo Nocentini (Sporting CP-Tavira) protagonizou uma grande corrida no Troféu Joaquim Agostinho.

Hernâni Brôco (LA Alumínios-Antarte) pedalou a última temporada enquanto ciclista profissional (Troféu Joaquim Agostinho).

O galego Alejandro Marque viveu mais uma temporada no seio do pelotão luso, na equipa LA Alumínios-Antarte (Troféu Joaquim Agostinho).

A dureza das rampas de Montejunto estampada no rosto de Mikel Bizkarra (equipa basca Euskadi-Murias no Troféu Joaquim Agostinho).

Shaun-Nick Bester (Sporting CP-Tavira) não deixa a companheira bicicleta por mãos alheias após a dura subida de Montejunto, no Troféu Joaquim Agostinho.

Luís Afonso, Bruno Silva e Nuno Meireles foram três dos responsáveis pela equipa LA Alumínios-Antarte fechar o Troféu Joaquim Agostinho no 2º lugar do pódio por equipas.

Micael Isidoro pedalou a última temporada pela equipa Louletano-Hospital de Loulé (Troféu Joaquim Agostinho).

Luís Afonso (LA Alumínios-Antarte) e Ángel Sánchez (W52-FC Porto) protagonizaram a fuga em Torres Vedras, no Troféu Joaquim Agostinho.

Sporting CP-Tavira defendeu com brio a liderança de Nocentini no Troféu Joaquim Agostinho.

A técnica de Daniel Mestre (Efapel) em evidência no Troféu Joaquim Agostinho.

Em cada edição do Grande Prémio Internacional de Torres Vedras, Joaquim Agostinho é homenageado pelo pelotão do Troféu Joaquim Agostinho.

Nuno Almeida subiu a profissional com a Efapel e demonstrou uma crescente maturidade ao longo da temporada (Troféu Joaquim Agostinho).

Marvin Scheulen (Sicasal-Constantinos-Udo) pediu água, mas os bidões da Euskadi-Murias estavam vazios. Subida da Carvoeira, no Troféu Joaquim Agostinho.

Gustavo Veloso (W52-FC Porto) conquistou o alto da Carvoeira, Troféu Joaquim Agostinho.

Rinaldo Nocentini (Sporting CP-Tavira) conquistou a amarela do Troféu Joaquim Agostinho.

Frederico Figueiredo (Rádio Popular-Boavista) está em plena construção de uma brilhante carreira e tem-se destacado como um dos grandes valores lusitanos (Circuito de S. Bernardo).

Pelotão no Circuito de S. Bernardo, Alcobaça.

Gustavo Veloso (W52-FC Porto) foi um dos maiores animadores dos circuitos de final de temporada (Circuito de S. Bernardo).

Rafael Silva (Efapel) conquistou o Circuito de S. Bernardo, uma vitória muito procurada e dedicada ao seu pai.

A boa disposição da equipa Sporting CP-Tavira no Circuito da Malveira.

Presença assídua da equipa espanhola Burgos BH nas provas lusas (Circuito da Malveira).

No Circuito da Malveira rolou-se a alta velocidade. Pelotão comandado por Joni Brandão (Efapel).

Não falta aerodinâmica no pelotão nacional (Circuito da Malveira).

Gustavo Veloso (W52-FC Porto) ergueu os braços para a vitória do Circuito da Malveira.

Rui Vinhas (W52-FC Porto) recebeu o merecido aplauso na pista da Malveira, aclamado pela conquista da Volta a Portugal.

Depois da competição, chega a hora de ir para casa (pista, Circuito da Malveira).

Árdua luta da perseguição pela vitória (pista, Circuito da Malveira).

A juventude da GoldWin-Team José Maria Nicolau lado-a-lado com a experiência da W52-FC Porto (pista, Circuito da Malveira).

Mentalização antes de partir para a competição (Circuito da Moita, Marinha Grande).

André Crispim (Liberty Seguros-Carglass) na frente do pelotão do Circuito da Moita.

Em desempenhos exemplares, Gustavo Veloso (W52-FC Porto) comandou o elevado ritmo imposto nos circuitos lusos (Circuito da Moita).

Joaquim Andrade no abastecimento aos seus pupilos da Moreira Congelados-Feira-Bicicletas Andrade (Circuito da Moita).

César Martingil (Liberty Seguros-Carglass) alcançou o segundo triunfo da temporada no Circuito da Moita, dedicando-o ao seu irmão.

O riso dos companheiros de pódio, após o vencedor do Circuito da Moita deixar cair e partir o troféu! Ivo Oliveira (Liberty Seguros-Carglass) e Rafael Silva (Efapel) com César Martingil.

A celebração do talento Ivo Oliveira (Circuito da Moita).

A rivalidade da estrada esquece-se logo após o último cruzar de meta (Circuito da Moita).

O ciclismo é uma celebração do companheirismo (Circuito da Moita).

Pelotão da Taça de Portugal Femininas, em Setúbal, na última prova pontuável.

Cadete Raquel Silva e master Lisa Torpes, da equipa 5Quinas-Município de Albufeira, cruzaram lado-a-lado a linha de meta (Taça de Portugal Femininas).

No masculino ou no feminino, o companheirismo é um dos máximos ingredientes do ciclismo (Taça de Portugal Femininas).

Campeã nacional Daniela Reis (DN17 Poitou-Charentes) ergueu os braços para a vitória da 5ª prova (Taça de Portugal Femininas). O percurso de sucesso leva-a a ingressar em 2017 na equipa UCI belga Lares-Waowdeals.

O beijo de Liliana Jesus (5Quinas-Município de Albufeira) ao desejado troféu da Taça de Portugal, dividindo o pódio com Daniela Reis (DN17 Poitou-Charentes) e Irina Coelho (5Quinas-Município de Albufeira).

2 comentários:

  1. Anónimo16/11/16

    Na verdade nunca é demais elogiar o magnífico trabalho feito durante todo o ano em prol do ciclismo. Muitos parabéns.

    ResponderEliminar
  2. Bom trabalho Helena. Nunca pensaste na ideia de via patreon.com iniciar um projecto de freelancer de jornalismo (virado para o ciclismo). Quem sabe não arranjavas fundos suficientes para cobrir a temporada completa das provas nacionais.

    Ken Adams

    ResponderEliminar