UCI aprova redução do pelotão para 2018

A União Ciclista Internacional (UCI) aprovou para 2018 uma redução do tamanho das equipas nas provas masculinas de estrada. Com o argumento de aumentar a segurança dos ciclistas, a UCI decidiu reduzir o pelotão para um máximo de 176 corredores em todos os eventos do Calendário Internacional de Estrada.

3º Encontro de Escolas de BTT animou capital Lisboeta

Este domingo realizou-se o 3º Encontro de Escolas de BTT Mata de Alvalade, em Lisboa, organizado pela Coelhinhos – Escola Clube de Ciclismo de Lisboa em parceria com a Junta de Freguesia de Alvalade e o apoio da Câmara Municipal de Lisboa e da Associação de Ciclismo de Lisboa. No Parque José Gomes Ferreira, os mais jovens puderam desfrutar de uma manhã bem passada na companhia da bicicleta.

No coração do pelotão da Volta a Portugal: W52-FC Porto

Cycling & Thoughts, juntamente para a APCP (Associação Portuguesa de Ciclistas Profissionais), esteve presente nos tradicionais Circuitos lusos de final de temporada, aproveitando o momento para sentir o coração dos heróis das equipas nacionais que estiveram presentes na 79ª Volta a Portugal Santander Totta.

Neste segundo artigo, de uma série de seis, falámos com os oito elementos da equipa vencedora W52-FC Porto sobre as quatro questões:

1- O que foi o melhor da Volta?
2- E o pior da Volta?
3- Com que sentimento sais desta Volta?
4- Tens algum episódio caricato ou momento marcante na Volta?

Descubram em seguida as respostas do vencedor Raúl Alarcón, Rui Vinhas, Ricardo Mestre, António Carvalho, Gustavo Veloso, Joaquim Silva, Samuel Caldeira e Amaro Antunes.

Gaspar Gonçalves e Tiago Antunes, jovens talentos na mira internacional

O ciclismo português tem atraído cada vez mais os olhares internacionais e os jovens lusos têm estado na mira do interesse das equipas estrangeiras. Dois dos valores que se têm evidenciado nas mais recentes temporadas são Gaspar Gonçalves (Liberty Seguros-Carglass), de 22 anos, e Tiago Antunes (Sicasal-Constantinos-Delta Cafés), de 20 anos de idade.

No coração do pelotão da Volta a Portugal: Sporting-Tavira

O Cycling & Thoughts, juntamente para a APCP (Associação Portuguesa de Ciclistas Profissionais), esteve presente nos tradicionais Circuitos lusos de final de temporada, aproveitando o momento para sentir o coração dos heróis das equipas nacionais que estiveram presentes na 79ª Volta a Portugal Santander Totta.

Neste quinto artigo, de uma série de seis, falámos com sete dos elementos da equipa Sporting-Tavira sobre as quatro questões:

1- O que foi o melhor da Volta?
2- E o pior da Volta?
3- Com que sentimento sais desta Volta?
4- Tens algum episódio caricato ou momento marcante na Volta?

Descubram em seguida as respostas de Alejandro Marque,Jesús Ezquerra, Luís Fernandes, Frederico Figueiredo, Válter Pereira, Fábio Silvestre e Mário González.

Mário González conquista Memorial Bruno Neves

Mário González fechou com chave de ouro a segunda temporada ao serviço da equipa Sporting-Tavira, vencendo isolado na meta o Memorial Bruno Neves. Completaram o pódio deste dia Joaquim Silva (W52-FC Porto) e Domingos Gonçalves (RP-Boavista).

Depois de ontem ter ficado em 2º lugar a 10 segundos da vitória de Domingos Gonçalves (RP-Boavista) no Troféu Oliveira de Azeméis, este domingo Mario González não deixou escapar a primeira vitória do ano. Ao final dos 143 km, o ciclista espanhol de 25 anos agarrou a vitória da 9ª edição do Memorial em homenagem ao saudoso ciclista Bruno Neves, após conseguir fugir ao pelotão na última volta.

El Pistolero despede-se com vitória no Angliru

Alberto Contador (Trek-Segafredo) conseguiu a tão desejada vitória na despedida do pelotão profissional. No Alto de L’Angliru, El Pistolero apertou o gatilho para a conquista do cume que já foi seu em 2008. Passados 9 anos, a emoção foi maior, tal como maior foi o incendiar do público à sua passagem.

Depois de se ver arredado da luta pelo ‘maillot rojo’, Alberto Contador fez da sua última corrida uma longa jornada diária de ataques e contra-ataques, tudo com o objectivo de vencer uma etapa. A quinta Vuelta a España da sua carreira ficará para a história do ciclismo como uma das mais emocionantes de todos os tempos.

Domingos Gonçalves conquista Troféu Oliveira de Azeméis

O campeão nacional de contra-relógio Domingos Gonçalves (RP-Boavista) venceu isolado a 7ª edição do Troféu Concelhio Oliveira de Azeméis. Completaram o pódio Mário González (Sporting-Tavira) e César Fonte (LA Alumínios-Metalusa-BlackJack).

No coração do pelotão da Volta a Portugal: RP-Boavista

O Cycling & Thoughts, juntamente para a APCP (Associação Portuguesa de Ciclistas Profissionais), esteve presente nos tradicionais Circuitos lusos de final de temporada, aproveitando o momento para sentir o coração dos heróis das equipas nacionais que estiveram presentes na 79ª Volta a Portugal Santander Totta.

Neste quarto artigo, de uma série de seis, falámos com sete dos elementos da equipa RP-Boavista sobre as quatro questões:

1- O que foi o melhor da Volta?
2- E o pior da Volta?
3- Com que sentimento sais desta Volta?
4- Tens algum episódio caricato ou momento marcante na Volta?

Descubram em seguida as respostas de Rui Sousa, João Benta, David Rodrigues, Domingos Gonçalves, Filipe Cardoso, Pablo Guerrero e Luís Gomes.

Amaro Antunes mantém soberania no Ranking APCP

As competições do final do mês de Agosto não produziram qualquer alteração no pódio do Ranking APCP Ciclista do Ano. Amaro Antunes (W52-FC Porto) manteve a soberania no 1º lugar, com os mesmos 1295 pontos totalizados até ao final da Volta a Portugal. Vicente de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) manteve-se no 2º lugar a 33 pontos e Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira) em 3º à distância de 202 pontos.

No coração do pelotão da Volta a Portugal: Efapel

Cycling & Thoughts, juntamente para a APCP (Associação Portuguesa de Ciclistas Profissionais), esteve presente nos tradicionais Circuitos lusos de final de temporada, aproveitando o momento para sentir o coração dos heróis das equipas nacionais que estiveram presentes na 79ª Volta a Portugal Santander Totta.

Neste terceiro artigo, de uma série de seis, falámos com os oito elementos da equipa Efapel sobre as quatro questões:

1- O que foi o melhor da Volta?
2- E o pior da Volta?
3- Com que sentimento sais desta Volta?
4- Tens algum episódio caricato ou momento marcante na Volta?

Descubram em seguida as respostas de Sérgio Paulinho, Daniel Mestre, Rafael Silva, Henrique Casimiro, Bruno Silva, António Barbio, Álvaro Trueba e Jesús del Pino.

André Ramalho: “No próximo ano tenho capacidade de deixar o meu nome marcado entre os melhores”

André Ramalho, de 21 anos, integrou pelo terceiro ano consecutivo a casa de formação Clube de Ciclismo José Maria Nicolau. Na equipa sediada no Cartaxo, destacou-se como um dos jovens mais consistentes do pelotão sub-23 na temporada de 2017.

Numa entrevista em exclusivo ao Cycling & Thoughts, André Ramalho viaja no tempo recordando as primeiras pedaladas no ciclismo, o crescimento na equipa Jorbi-Team José Maria Nicolau, os resultados obtidos esta temporada em Portugal e Espanha, a melhoria na performance, os estudos universitários e o futuro no ciclismo.

João Barbosa conquista Prémio Anadia, César Martingil vence última etapa

João Barbosa, de 19 anos, deu à equipa Maia a primeira vitória da temporada ao conquistar o Prémio Anadia Capital do Espumante, sucedendo a Fábio Mansilhas (Miranda-Mortágua) no palmarés da jovem competição que realizou a sua 2ª edição. Completaram o pódio da geral a 7 segundos Fábio Oliveira (Moreira Congelados-Feira-Bicicletas Andrade) e a 16 segundos Marvin Scheulen (Sicasal-Constantinos-Delta Cafés). A vitória da derradeira etapa sorriu a César Martingil (Liberty Seguros-Carglass).

David Ribeiro triunfa no Monte Crasto

David Ribeiro (Liberty Seguros-Carglass) alcançou a primeira vitória da temporada na chegada a Monte Crasto, no final da etapa inaugural do Prémio Anadia Capital do Espumante. O companheiro de equipa André Crispim e o mexicano Francisco Lara Carbajar (Team Guerciotti-Redondela) completaram o pódio.

No coração do pelotão da Volta a Portugal: LA Alumínios-Metalusa-BlackJack

Cycling & Thoughts, juntamente para a APCP (Associação Portuguesa de Ciclistas Profissionais), esteve presente nos tradicionais Circuitos lusos de final de temporada, aproveitando o momento para sentir o coração dos heróis das equipas nacionais que estiveram presentes na 79ª Volta a Portugal Santander Totta.

Neste segundo artigo, de uma série de seis, falámos com sete dos elementos da equipa LA Alumínios-Metalusa-BlackJack sobre as quatro questões:

1- O que foi o melhor da Volta?
2- E o pior da Volta?
3- Com que sentimento sais desta Volta?
4- Tens algum episódio caricato ou momento marcante na Volta?

Descubram em seguida as respostas de Edgar Pinto, César Fonte, Luís Afonso, João Matias, Guillaume de Almeida, Antonio Angulo e Hugo Sancho.

Clube de Ciclismo Amaro Antunes cria escolinhas de formação

O Clube de Ciclismo Amaro Antunes tem a alegria de informar todos os seus seguidores sobre a criação das Escolinhas de Formação Amaro Antunes em Vila Nova de Cacela, no concelho de Vila Real de Santo António. O final de Setembro e início de Outubro de 2017 marca assim um grande passo na recente história do Clube presidido pelo ciclista que abrilhantou a prova rainha do ciclismo nacional com o 2º lugar na geral da Volta a Portugal.

No coração do pelotão da Volta a Portugal: Louletano-Hospital de Loulé

O Cycling & Thoughts, juntamente para a APCP (Associação Portuguesa de Ciclistas Profissionais), esteve presente nos tradicionais Circuitos lusos de final de temporada, aproveitando o momento para sentir o coração dos heróis das equipas nacionais que estiveram presentes na 79ª Volta a Portugal Santander Totta.

Neste primeiro artigo, de uma série de seis, falámos com sete dos elementos da equipa Louletano-Hospital de Loulé sobre as quatro questões:

1- O que foi o melhor da Volta?
2- E o pior da Volta?
3- Com que sentimento sais desta Volta?
4- Tens algum episódio caricato ou momento marcante na Volta?

Descubram em seguida as respostas de Vicente de Mateos, David de la Fuente, Nuno Almeida, Hélder Ferreira, Pedro Paulinho, Rui Rodrigues e André Evangelista.

Não deixem morrer os Circuitos

O mote foi dado num comentário a uma publicação na minha página de facebook por João Carlos Bernardino: “Não deixem morrer os Circuitos”. Esta frase ficou na minha cabeça ao longo destas duas semanas em que estive presente em seis Circuitos, corridas tradicionais que marcam as últimas pedaladas da temporada lusa.

Este é o quarto ano consecutivo que assisto aos circuitos portugueses. Ali, o ciclismo é saboreado na sua verdadeira essência, longe do glamour da Volta a Portugal e de outras corridas de maior imponência, que o calendário oferece. Ali, o contacto com os ciclistas prolonga-se pelas diversas voltas aos curtos percursos que serpenteiam as localidades, que fecham as suas estradas para receber o colorido do pelotão.

Ivo Oliveira conquista pela segunda vez o Circuito da Moita: “Estou mesmo feliz com esta vitória”

Ivo Oliveira (Axeon Hagens Berman) repetiu a vitória de 2015 e voltou a reinar no Circuito da Moita, na Marinha Grande, diante do vencedor de dois recentes circuitos João Matias (LA Alumínios-Metalusa-BlackJack) e do vencedor da edição transacta César Martingil (Liberty Seguros-Carglass).

Esta foi a segunda vitória do internacional luso Ivo Oliveira em poucos dias, após ter conquistado no passado dia 26 de Agosto o Circuito da Póvoa da Galega. Hoje na Moita, a vitória teve um sabor especial, como contou ao Cycling & Thoughts: “É um circuito que gosto muito. A correr sozinho é um pouco complicado, por causa dos ataques e de não sabermos quando havemos de ir ou não, mas a duas ou três voltas o pelotão partiu-se e foi a minha sorte. Quase fui apanhado em flagrante, porque comecei a festejar e ainda faltava uma volta. Felizmente consegui aguentar mais uma volta e estou mesmo feliz com esta vitória.”

João Matias bisa nos Circuitos: “Vamos continuar a lutar em todas as corridas”

Depois de triunfar no Bombarral, João Matias (LA Alumínios-Metalusa-BlackJack) voltou a erguer os braços para a vitória no Circuito da Malveira. No final ao sprint superou Luís Mendonça (Louletano-Hospital de Loulé) e Rafael Silva (Efapel), dois bravos do pelotão ainda em recuperação das lesões sofridas por agressão em treino e por queda na Volta a Portugal, respectivamente.

Ivo Oliveira triunfa na estreia do Circuito Póvoa da Galega: “Sabe bem levantar os braços no meu país”

A estreia do Circuito da Póvoa da Galega ficou marcada por uma vitória fulgurante do jovem internacional luso Ivo Oliveira (Axeon Hagens Bermans). Os companheiros de fuga Luís Afonso (LA Alumínios-Metalusa-BlackJack) e Luís Gomes (RP-Boavista) completaram o pódio.

Luís Gomes triunfa em Nafarros: “Foi uma vitória difícil”

Luís Gomes (RP-Boavista) conquistou a primeira vitória da temporada no Circuito de Nafarros, depois de se destacar na Volta a Portugal como o segundo melhor jovem em prova. Bruno Silva (Efapel) e Hugo Sancho (LA Alumínios-Metalusa-BlackJack) completaram o pódio em Sintra.

Ao Cycling & Thoughts, Luís Gomes falou sobre o triunfo: “Foi uma vitória difícil. Um circuito com muitos ataques e contra-ataques e o vento que se fez sentir naquela subida tornou tudo mais complicado e duro durante as voltas. Tive a felicidade de estar bem fisicamente, consegui engatar na fuga e depois, nesta chegada ligeiramente a subir, consegui sprintar e vencer. Agradeço a todos os meus colegas de equipa pela ajuda que me deram durante toda a época e dedico esta vitória à minha família e à minha namorada.”

Domingos Gonçalves arrasa em Alcobaça: “Tive de andar muito tempo à morte”

Domingos Gonçalves (RP-Boavista) venceu este domingo o Circuito de S. Bernardo, em Alcobaça. De forma arrasadora, o campeão nacional de contra-relógio fez várias voltas na frente, dobrou a maioria do pelotão e somou esta vitória da temporada ao título nacional conquistado em Junho. Jesús del Pino (Efapel) e Luís Gomes (RP-Boavista) completaram o pódio.

João Matias triunfa no Bombarral: “Faltava-me uma vitória como esta a nível profissional”

João Matias (LA Alumínios-Metalusa-BlackJack) venceu o 2º Circuito do Bombarral – Circuito da Pêra Rocha Liberty Seguros. O ciclista de 26 anos, que envergou por diversos dias a liderança da camisola da montanha na recente Volta a Portugal, superou ao sprint toda a concorrência, completando o pódio Fábio Silvestre (Sporting-Tavira) e Daniel Freitas (W52-FC Porto).

Ao Cycling & Thoughts, João Matias mostrou-se muito satisfeito com esta especial vitória: “Depois da excelente Volta a Portugal que fiz, sentia-me muito bem e faltava-me uma vitória como esta a nível profissional. Há muito tempo que procurava. É a primeira vez que levanto os braços a nível individual e é muito especial. Sinto-me muito bem, muito contente e muito agradecido a toda a equipa da LA Alumínios-Metalusa-BlackJack.”

Volta a Portugal dos 90 anos: protagonistas que escreveram o guião

Raúl Alarcón (W52-FC Porto) chegou à 79ª Volta a Portugal Santander Totta vindo de realizar a sua melhor temporada de sempre, obtendo vitórias em Portugal e em Espanha. Aos 31 anos de idade, conquistou pela primeira vez a camisola amarela da Volta, destacando-se como o ciclista do pelotão nacional melhor posicionado no Ranking World UCI, no 122º lugar.

Volta a Portugal mantém Amaro Antunes no topo do Ranking APCP

A Volta a Portugal aproximou os dois primeiros lugares do Ranking APCP Ciclista do Ano. Amaro Antunes (W52-FC Porto) manteve a liderança com 1295 pontos, encontrando-se apenas a 33 pontos do 2º lugar de Vicente de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé), que destronou Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira) para o 3º lugar, à distância de 202 pontos.

Volta a Portugal: Alarcón rei da Volta, Veloso vencedor do crono final

Raúl Alarcón (W52-FC Porto) sagrou-se aos 31 anos no grande vencedor da 79ª edição da Volta a Portugal Santander Totta. No ano em que a prova rainha lusitana celebra o 90º aniversário, o português e companheiro de equipa Amaro Antunes conquistou o 2º lugar na geral e o espanhol Vicente de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) fechou o pódio. No cair do pano em Viseu, Gustavo Veloso arrasou no contra-relógio, vencendo a sua segunda etapa nesta edição.

Volta a Portugal: Amaro Antunes e Raúl Alarcón sentenciam Volta na etapa rainha

A W52-FC Porto delineou a táctica perfeita para sentenciar a 79ª Volta a Portugal Santander Totta em dia de etapa rainha. A glória da vitória coube a Amaro Antunes, cruzando a meta na Guarda lado a lado com o companheiro e líder da camisola amarela Raúl Alarcón.

Depois de alcançar a primeira vitória da sua carreira na Volta, Amaro Antunes mostrou-se satisfeito aos microfones da RTP: “Sabíamos desde início para o que íamos, fizemos uma estratégia e as coisas correram na perfeição. Estou muito feliz pela equipa me dar uma vitória, tanto a equipa como o Raúl. Na estrada dei o que tinha pelo Raúl e pela equipa e estamos muito felizes. Ao contrário do que muitas pessoas diziam, que a equipa estava desorganizada e com rivalidades, hoje mostrámos que a união faz a força e conseguimos dar uma machadada. A vitória creio que está quase garantida, mas falta cumprir um contra-relógio e creio que o Raúl é o justo vencedor. O Raúl foi o camisola amarela desde quase o início da Volta, é ele que merece ter a camisola, foi o mais forte e eu fico satisfeito se ficar com o segundo lugar.”

Jorge Magalhães vence Circuito da Curia

A equipa Miranda-Mortágua esteve hoje em destaque no Circuito da Curia com Jorge Magalhães a conquistar a amarela e o companheiro Francisco Campos a fazer 2º, fechando o pódio Tiago Antunes (Sicasal-Constantinos-Delta Cafés).

Volta a Portugal: Vicente de Mateos triunfa em Azeméis, Alarcón mantém amarela

Chegou o dia de Vicente de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) erguer os braços para a vitória em Oliveira de Azeméis, depois de seis etapas a finalizar entre os cinco primeiros na meta. Na oitava etapa da 79ª Volta a Portugal Santander Totta, o espanhol superou sobre a linha o luso Daniel Mestre (Efapel), que assim viu fugir a recompensa aos companheiros, que trabalharam a maioria da jornada na frente do pelotão. Raúl Alarcón (W52-FC Porto) manteve a camisola amarela, embora com menos vantagem sobre os demais favoritos à geral.

“El Gallu” en la Volta a Portugal: “Es una carrera que siempre he seguido con un sentimiento especial”

La 79ª edición de la Volta a Portugal Santander Totta se está disputando desde el día 4 de agosto y en su pelotón estuvo “El Gallu” José Manuel Gutiérrez, ciclista cántabro nuestro conocido del equipo Kuwait-Cartucho.es. La ilusión de correr la carrera reina portuguesa hizo que José viniera luchando contra una infección, algo que logró hacer hasta el comienzo de la cuarta etapa, momento de su adiós a la Volta.

Volta a Portugal: António Barbio foge para a vitória, Alarcón mantém amarela

Este foi um sábado pleno para a equipa lusa Efapel na 79ª Volta a Portugal Santander Totta. Depois de anunciar a continuidade do patrocínio por mais três anos na estrada, a esquadra viu António Barbio levar a fuga ao êxito da vitória no alto da Nossa Senhora da Assunção. Em Santo Tirso, Raúl Alarcón (W52-FC Porto) foi 5º, mantendo a liderança da camisola amarela.

Em fuga desde os quilómetros iniciais da sétima etapa, António Barbio atacou à falta de 18 km, fugindo aos companheiros de aventura para a conquista da primeira etapa da sua carreira na Volta a Portugal. À RTP, o vencedor e mais combativo do dia disse: “Acho que ainda não caí em mim. Procurava uma vitória há dois anos, nunca esperava que ela aparecesse na Volta a Portugal. Fico feliz por ser uma vitória esperada pela Efapel, não da minha parte mas dos meus colegas. Sempre que tentámos, batemos na trave, mas desta vez a fuga deu-se e, felizmente, consegui ganhar.”

Rui Sousa, coração vianense despede-se da estrada

“Decidi que esta seria a minha última Volta a Portugal. São 20 anos de carreira, chegou o momento de dizer adeus ao profissionalismo, mas não ao ciclismo.” Estas foram algumas das palavras de Rui Sousa (RP-Boavista) na conferência de imprensa marcada para o dia de descanso da 79ª Volta a Portugal Santander Totta. Depois de alcançar aos 41 anos uma das mais belas vitórias da sua carreira, em Fafe, o coração vianense confirmou esta sexta-feira o adeus ao ciclismo profissional.

Volta a Portugal: Quatro etapas para descobrir o vencedor da amarela

Sete dias passaram desde o início da 79ª Volta a Portugal Santander Totta. Percorridos 1100,8 km, a W52-FC Porto impôs-se como a mais forte equipa da competição com Raúl Alarcón a vestir a camisola amarela desde o final da primeira etapa. A seu lado no Top 10 conta com três companheiros: Amaro Antunes em 3º, Gustavo Veloso em 5º e António Carvalho em 7º lugar. A menos de 1 minuto mantêm-se como principais rivais Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira) em 2º e Vicente de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) em 4º. Neste dia de descanso, os ciclistas só pensam chegar a Viseu.

Volta a Portugal: Poesia de Rui Sousa frente à demolidora W52-FC Porto

Não é todos os dias que podemos assistir a uma corrida de ciclismo como a que nos proporcionou hoje o pelotão da 79ª Volta a Portugal Santander Totta. Rui Sousa, o ciclista veterano de 41 anos que vem apaixonando o público lusitano ao longo de duas décadas entregues ao ciclismo profissional, escreveu poesia durante 182,7 km, rematando o seu belo poema com uma vitória emocionada assinada em Fafe. No decorrer da sua escrita, combateu contra a força demolidora da W52-FC Porto, não deixando a armada do camisola amarela Raúl Alarcón apagar o epílogo vitorioso da sua história de amor com a prova rainha do calendário luso.

Volta a Portugal: Veloso impõe-se em Santa Luzia, Alarcón mantém amarela

Em seis dias da 79ª Volta a Portugal Santander Totta, a equipa W52-FC Porto leva quatro vitórias. Hoje, no alto de Santa Luzia foi a vez do galego Gustavo Veloso impor a sua sede de vitória, subindo a 5º na geral e reduzindo o tempo para o companheiro de equipa e líder da camisola amarela Raúl Alarcón.

O vencedor da Volta de 2015 e 2014 Gustavo Veloso explicou à RTP o caminho para esta vitória: “No início, a intenção era preparar a chegada para o Raúl. Mas quando estás a preparar a chegada não podes olhar para trás. Mais numa chegada como esta, com curva e contra-curva, onde há que estar sempre atento. Vi agora na repetição que na curva [o Raúl] ficou um bocado mal colocado. Eu apertei ao máximo e consegui chegar em primeiro sem que ninguém me ultrapassasse.”

Volta a Portugal: Amarela de Alarcón imparável na Sra. da Graça

De camisola amarela desde a primeira etapa em linha, Raúl Alarcón demonstrou hoje ser o ciclista mais forte da 79ª Volta a Portugal Santander Totta ao coroar o alto da Sra. da Graça com a segunda vitória pessoal e a terceira para a W52-FC Porto.

Depois da armada W52-FC Porto controlar praticamente toda a etapa na frente do pelotão, o ataque de Amaro Antunes a 2 km da meta deu início ao recital de Raúl Alarcón para a vitória no Monte Farinha, aumentando assim a vantagem na liderança da camisola amarela frente aos mais directos rivais. “Está a ser uma Volta muito importante para mim. Ganhar aqui na Sra. da Graça é algo espectacular, sempre sonhei com isso e hoje pude cumprir mais um sonho. A minha equipa trabalhou toda a etapa e, no final, tínhamos planeado tentar ganhar a etapa e consegui ganhar tempo aos rivais”, disse Raúl Alarcón à RTP.

Volta a Portugal: Bryan Alaphilippe triunfa em Bragança, Alarcón mantém amarela

O ciclista francês de 21 anos Bryan Alaphilippe (Armée de Terre) alcançou a primeira vitória profissional da sua jovem carreira na terceira etapa da 79ª Volta a Portugal Santander Totta. Na chegada a Bragança, o irmão mais novo da estrela do WorldTour Julian Alaphilippe (Quick-Step Floors) bateu toda a concorrência num sprint exaustivamente preparado por Damien Gaudin, primeiro camisola amarela da Volta. A liderança da geral permaneceu tranquila nas mãos de Raúl Alarcón (W52-FC Porto).

À RTP, Bryan Alaphilippe falou sobre a vitória e os objectivos da equipa para esta Volta: “Foi uma boa etapa, um pouco complicada ao início. A equipa fez um grande trabalho e a vitória sorriu-nos ao final. É excelente para a equipa. O nosso objectivo era ganhar o prólogo com Damien Gaudin. Sabemos que a Volta a Portugal é muito dura e não viemos pela geral, mas sim especialmente pelas etapas.”

Volta a Portugal: Vitória de Caldeira por milésimos em Castelo Branco, Alarcón mantém amarela

A W52-FC Porto venceu pelo segundo dia consecutivo na 79ª Volta a Portugal Santander Totta. Na chegada a Castelo Branco, o sprinter português Samuel Caldeira conquistou entre lágrimas a segunda etapa num sprint renhido ganho por 10 milésimos de segundo ao italiano Antonino Parrinello (GM Europa Ovini). Raúl Alarcón manteve a liderança da camisola amarela.

Depois de uma curta espera pela decisão do photo-finish, a vitória foi entregue a Samuel Caldeira, que declarou à RTP: “Ando à procura de uma vitória na Volta a Portugal há imenso tempo. Tenho inúmeros segundos lugares, mas de um ano para o outro os segundos lugares são completamente esquecidos e o que fica são as vitórias. É essa vitória que eu estou à procura.” Questionado sobre o que pensou quando cruzou a meta e sentiu que agarrou o primeiro triunfo da sua carreira na Volta a Portugal, Caldeira disse: “Acima de tudo, penso em toda a minha equipa, a confiança que deposita em mim prova atrás prova, apesar de eu por uma vez ou outra não vencer. E em toda a minha família, que sempre faz imenso sacrifício para que eu me possa manter à melhor forma.”