Pontos altos da 78ª Volta a Portugal

Aproxima-se o momento alto da temporada lusa de ciclismo. A prova rainha Volta a Portugal disputa-se de 27 de Julho a 7 de Agosto, organizada pela Podium Events e com o novo patrocinador principal Santander Totta.

Apresentada ontem no Salão Nobre da Câmara Municipal de Lisboa, a Volta a Portugal oferece para a sua 78ª edição um percurso divergente dos anos transactos, que pode trazer mais surpresas à classificação geral, sendo um dos favoritos à sonhada amarela o galego Gustavo Veloso (W52-FC Porto), vencedor em 2014 e 2015. A Sra. da Graça continua a marcar uma das chegadas míticas da Volta, deixando a Torre de receber o final de uma jornada, mas continuando a poder exercer o seu efeito destructivo em alguns pedais pela sua dupla passagem em 2016. A incrementar o espectáculo velocipédico, a introdução em Fafe do inédito troço de sterrato do Rally de Portugal, o regresso da Volta à planície alentejana e um contra-relógio individual na última jornada.

Um total de 1618,7 km, entre o prólogo e 10 etapas, prometem ser vividos com muita garra e emoção pelo pelotão de 18 equipas, as 6 continentais lusitanas e 12 ProContinentais e Continentais estrangeiras.




27/Julho Prólogo
3,6 km Oliveira de Azeméis (14h30 – 1º corredor)
A Volta a Portugal começa no tradicional prólogo com o contra-relógio individual de 3,6 km a marcar os primeiros tempos e consecutivamente o primeiro camisola amarela da 78ª edição. Num percurso maioritariamente técnico em Oliveira de Azeméis, chama-se particular atenção para os 500m finais em subida na Avenida D. Maria I.


Prólogo

28/Julho Etapa 1
167,4 km Ovar (12h50) / Braga (17h22)
A primeira etapa em linha, de 167,4 km, repete a partida de 2015 no cenário perto da praia do Furadouro, em Ovar. O destaque da jornada recai sobre o circuito final com duas passagens pela meta instalada na Avenida da Liberdade, em Braga, intercaladas com duas duras ascensões à 2ª categoria do Sameiro.
PM 3ªcat. Jovim km 57,2 (2,1 km extensão)
1ª Passagem Meta km 135,4
PM 2ªcat. Sameiro km 143,1 (5,2 km extensão)
2ª Passagem Meta km 151,4
PM 2ªcat. Sameiro km 159,1


Etapa 1

29/Julho Etapa 2
160 km Viana do Castelo (13h) / Fafe (17h21)
A segunda etapa de 160 km traz à prova rainha do calendário nacional uma novidade apreciada por muitos fãs de ciclismo: o famoso sterrato. Depois de partir de Viana do Castelo, o pelotão embrenha-se no belíssimo Parque Natural da Peneda Gerês e ruma ao estreante troço em terra batida de 2,2 km, famoso percurso do Rally de Portugal. Numa jornada tão especial não pode faltar a montanha, destacando-se as 2ªs categorias de Caniçada e do ‘Salto da Pedra Sentada’, esta a 18 km da meta na Praça 25 de Abril, em Fafe.
PM 3ªcat. Alto de Covide km 69,1 (6,7 km extensão)
PM 2ªcat. Caniçada km 84,2 (6,2 km extensão)
PM 4ªcat. Golães km 125 (1,5 km extensão)
1ª Passagem Meta km 129,4
PM 2ªcat. Salto da Pedra Sentada km 142 (1,6 km extensão)


Etapa 2

30/Julho Etapa 3
158,9 km Montalegre (13h15) / Macedo de Cavaleiros (17h23)
Na terceira etapa pedalam-se 158,9 km partindo de Montalegre até Macedo de Cavaleiros. O destaque recai nas duas montanhas de 2ª categoria do dia, com a última da Serra de Bornes a anteceder o final da jornada num circuito de cerca de 20 km, com meta na Rua Dr. Armando Pires.
PM 2ªcat. Mosteiró de Cima km 65,4 (10,2 km extensão)
PM 2ªcat. Serra de Bornes km 122,5 (8,5 km extensão)
1ª Passagem Meta km 137,7


Etapa 3

31/Julho Etapa 4
191,9 km Bragança (11h45) / Mondim de Basto – Sra. da Graça (17h19)
A mítica chegada ao alto da Sra. da Graça acontece à quarta etapa, no final de 191,9 km com partida em Bragança. Na segunda mais longa jornada desta edição, antes da derradeira escalada os heróis do asfalto têm de fazer frente a mais quatro subidas, entre elas a que antecede o final em Mondim de Basto, a também de 1ª categoria Barragem do Alvão, a 44,8 km da meta.
PM 3ªcat. Serra da Nogueira km 8,6 (6,8 km extensão)
PM 3ªcat. Argemil km 82,6 (9,4 km extensão)
PM 3ªcat. Serra da Padrela km 97,7 (6,3 km extensão)
PM 1ªcat. Barragem do Alvão km 147,1 (8,8 km extensão com 500m de pavé)
PM 1ªcat. Sra. da Graça km 191,9 (8,2 km extensão)


Etapa 4

01/Agosto Etapa 5
153,2 km Lamego (13h10) / Viseu (17h20)
A quinta etapa antecede o dia de descanso da Volta. Numa jornada de 153,2 km entre Lamego e Viseu, o pelotão encontra novamente muita montanha, sendo as mais duras a de 2ª categoria do Alto de Bigorne e a 1ª categoria da Serra de São Macário, a 60,7 km da meta na Avenida da Europa, palco de inúmeras chegadas do pelotão lusitano.
PM 4ªcat. Pousada km 17,4 (4,1 km extensão)
PM 2ªcat. Bigorne km 40,6 (16 km extensão)
PM 4ªcat. Carranqueira km 61,3 (3,2 km extensão)
PM 1ªcat. São Macário km 92,5 (8,2 km extensão)
PM 4ªcat. Serra da Arada km 103,7 (3 km extensão)


Etapa 5

02/Agosto Descanso
Viseu

03/Agosto Etapa 6
173,7 km Belmonte (12h30) / Guarda (17h19)
Após o dia de descanso chega a etapa rainha com duas escaladas à Torre, a mítica categoria especial na Serra da Estrela. A sexta etapa parte de Belmonte rumo à Guarda num total de 173,7 km. Apesar de não ter o final na Torre, esta implacável subida é duas vezes superada, primeiramente na vertente Covilhã/Penhas da Saúde/Torre e posteriormente Seia/Sabugueiro/Torre, terminando num final inédito de 3ª categoria no Largo General Humberto Delgado, na Guarda.
PM Cat. Especial Torre km 44,7 (19,2 km extensão)
PM Cat. Especial Torre km 104,3 (27,4 km extensão)
PM 3ªcat. km 148,5 (8,4 km extensão)
PM 3ªcat. Guarda km 164,4 (6,2 km extensão)
PM 3ªcat. Guarda km 173,7 (3 km extensão)


Etapa 6

04/Agosto Etapa 7
182 km Figueira de Castelo Rodrigo (12h50) / Castelo Branco (17h26)
A sétima etapa aponta para um final ao jeito dos sprinters. Numa jornada de 182 km sem montanha, o pelotão parte de Figueira de Castelo Rodrigo rumo à meta na Avenida Nuno Álvares, em Castelo Branco.
1ª Passagem Meta km 164,9


Etapa 7

05/Agosto Etapa 8
208,5 km Nazaré (11h55) / Arruda dos Vinhos (17h15)
A mais extensa jornada da 78ª edição da Volta conta com a estreia do ponto de partida e de chegada da oitava etapa. O Sítio na Nazaré dá o tiro de partida para os longos 208,5 km em direcção a Arruda dos Vinhos. Pelo meio, o pelotão passa pela terra de Joaquim Agostinho, Torres Vedras, e sobe à 2ª categoria de Montejunto, escalada presente na importante prova lusa Troféu Joaquim Agostinho. Após esta ascensão ainda se tem pela frente 76,1 km até à meta na Avenida Engenheiro Adriano Brito da Conceição, em Arruda dos Vinhos, onde o pelotão passa uma primeira vez a 27,7 km para o final.
PM 2ªcat. Montejunto km 132,4 (5,3 km extensão)
PM 4ªcat. Alenquer km 160,8 (0,9 km extensão)
1ª Passagem Meta km 180,8
PM 3ªcat. Arranhó km 185,6 (4,4 km extensão)


Etapa 8

06/Agosto Etapa 9
187,5 km Alcácer do Sal (12h35) / Setúbal (17h19)
A nona etapa marca o regresso da Volta ao doce Alentejo. Um total de 187,5 km são pedalados entre Alcácer do Sal e Setúbal, Cidade Europeia do Desporto 2016 que recebeu este ano o final da Taça de Portugal Femininas. Além do destaque alentejano, neste dia assinala-se a passagem pela bela Serra da Arrábida, derradeiro local para amealhar os últimos pontos da camisola da montanha, a 13,3 km da meta instalada na Avenida Luisa Todi, em Setúbal.
PM 3ªcat. Alto das Necessidades km 145,7 (1,2 km extensão)
PM 2ªcat. Alto da Arrábida km 174,2 (6,4 km extensão)


Etapa 9

07/Agosto Etapa 10
32 km Vila Franca de Xira (14h) / Lisboa
A décima etapa encerra a Volta a Portugal num contra-relógio individual de 32 km, entre Vila Franca de Xira e Lisboa. Por três vezes este crono fechou a Volta, em 1969 e 1970 com vitória de Joaquim Agostinho, em 1976 com triunfo de Marco Chagas, o português que mais vezes (4) conquistou a rainha lusitana. Este esforço individual deixa em aberto até ao último segundo o rosto do vencedor da 78ª edição, conhecido no último cruzar de linha na Praça do Comércio da capital lisboeta.


Etapa 10

É esperado um pelotão de 144 corredores, divididos entre as 6 equipas lusitanas e as 12 estrangeiras:
EFP - Efapel (Por) Continental
LAA - LA Alumínios-Antarte (Por) Continental
LHL - Louletano-Hospital de Loulé (Por) Continental
RPB - Rádio Popular-Boavista (Por) Continental
TAV - Sporting CP-Tavira (Por) Continental
W52 - W52-FC Porto (Por) Continental
AND - Androni Giocattoli-Sidermec (Ita) Profissional Continental
CJR - Caja Rural-Seguros RGA (Esp) Profissional Continental
DPC - Drapac Professional Cycling (Aus) Profissional Continental
FSC - Funvic Soul Cycles-Carrefour (Bra) Profissional Continental
ROT - Team Roth (Sui) Profissional Continental
ADT - Armée De Terre (Fra) Continental
TSE - Astana City (Kaz) Continental
BRC - Boyacá Raza de Campeones (Col) Continental
SGT - Christina Jewelry Pro Cycling (Ger) Continental
EUS - Euskadi-Murias (Esp) Continental
DCT - Inteja-MMR Dominican Cycling Team (Dom) Continental
LOK - Lokosphinx (Rus) Continental

Vencedores recentes:
2006 David Blanco (Esp) Comunid Valenciana
2007 Xavier Tondo (Esp) Maia
2008 David Blanco (Esp) Tavira
2009 David Blanco (Esp) Tavira
2010 David Blanco (Esp) Palmeiras Resort
2011 Ricardo Mestre (Por) Tavira-Prio
2012 David Blanco (Esp) Efapel-Glassdrive
2013 Alejandro Marque (Esp) OFM-Quinta da Lixa
2014 Gustavo Veloso (Esp) OFM-Quinta da Lixa
2015 Gustavo Veloso (Esp) W52-Quinta da Lixa

Camisolas, Pacto:
Geral - Camisola Amarela Santander Totta
Pontos - Camisola Verde Rubis Gás
Montanha - Camisola Azul Liberty Seguros
Juventude - Camisola Branca RTP
Melhor Equipa - Dorsal Amarelo EDP

Foto www.volta-portugal.com


1 comentário:

  1. Anónimo8/6/16

    Excelente descrição do que irá ser o percurso da prova mais esperada do ano. Pelo magnifico trabalho desta crónica e como leitor assíduo do blogue parabéns mesmo.

    ResponderEliminar