Paulo Silva: “A vertente psicológica neste primeiro ano é determinante”

Paulo Silva (1995) cumpriu de forma positiva o primeiro ano sub-23 na equipa Liberty Seguros/Feira/KTM. Em constante aprendizagem, demonstrou ser uma peça importante no seio da esquadra que alcançou este ano a vitória da Volta a Portugal do Futuro e da Taça de Portugal Sub-23 pelo companheiro Rúben Guerreiro.

O ano chegou ao fim e com ele terminou também a caminhada de Paulo no Sport Ciclismo São João de Ver, não podendo entrar em detalhes sobre a nova equipa. “Não vou continuar no S. João de Ver, mas quanto ao meu futuro prefiro resguardar-me por esta altura. Em devido tempo farei o anúncio das novas cores. Desde já, queria agradecer por estes três anos espectaculares. Foi a melhor equipa onde já estive, onde mais aprendi e consegui uma maior progressão. Só tenho a agradecer por tudo”.

Em 2014 viveu a transição do pelotão júnior para o pelotão sub-23 onde correu com os profissionais, transição essa que “foi difícil. O ritmo e os quilómetros são totalmente diferentes. A vertente psicológica neste primeiro ano é determinante e com trabalho e dedicação tudo se consegue”. Acrescenta, “poder correr com os meus ídolos foi um sonho tornado realidade. Foi um ano onde fiz novas amizades e reforcei laços com atletas que já conhecia”.

Ao partilharem as equipas de clube o calendário de estrada com as equipas continentais, Paulo estreou-se em provas bastante competitivas e de elevado nível. “O que mais gosto são as corridas duras, com constante sobe e desce. As provas dos profissionais são interessantes pelo ritmo forte e constante. As que mais gostei de participar foram as da Taça de Portugal, a Volta a Portugal e o Troféu Joaquim Agostinho”.

No que respeita aos resultados obtidos, afirma estar satisfeito. “No global diria que sim, mas ficamos sempre com a sensação que podíamos ter feito algo mais individualmente. Quanto à equipa foi espectacular. Tínhamos ciclistas muito bons, que demostraram as suas qualidades como ciclistas e como amigos. E claro, nada disso era possível sem o grande treinador Manuel Correia e um grande staff”.

O sonho de se tornar ciclista profissional vai sendo pedalado ao longo destes anos de formação com muito trabalho e o apoio fundamental de algumas pessoas. “Tenho de agradecer a todos que me apoiaram durante este ano difícil. À minha família, equipa e amigos, sem eles não era possível seguir o meu sonho. Também à loja Fullracing pelo apoio dado, à minha massagista Sílvia e colaboradores. Um obrigado também a Tiago Almeida e Tiago Aragão, que me ajudaram a evoluir”, agradece Paulo no término deste primeiro ano sub-23. 


Paulo Silva e David Ribeiro
Paulo Silva e Leonel Coutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário