Competições internacionais lusas e possível ProTeam em 2019


Innsbruck, na Áustria, tem sido por estes dias palco dos Campeonatos do Mundo de Estrada e de importantes reuniões no que concerne o ciclismo profissional. Desde a eleição para a presidência da CPA (Associação de Ciclistas Profissionais), que ditou a vitória de Gianni Bugno para o terceiro mandato consecutivo, derrotando David Millar, até à aprovação da Reforma do ciclismo profissional e do calendário internacional 2019 pela UCI (União Ciclista Internacional), que definiu 30 dias de competição internacional em Portugal. A FPC (Federação Portuguesa de Ciclismo) informou também em comunicado sobre a candidatura das equipas lusas para 2019, destacando-se a possível subida da W52-FC Porto ao escalão Profissional Continental (ProTeam).

Aprovadas mudanças no ciclismo profissional


A Reforma do ciclismo profissional foi aprovada pelo Comité da União Ciclista Internacional (UCI), após ser aprovada por unanimidade pelo Conselho de Ciclismo Profissional (CCP), composto por representantes de equipas, ciclistas e organizadores. O encontro teve lugar estes dias na Áustria, país anfitrião dos Campeonatos do Mundo de Estrada.

Venceslau Fernandes conquistou o princípio de um sonho


Em 2016, confessou-nos o sonho de ser um dia o segundo Venceslau Fernandes a vencer a Volta a Portugal. Referia-se ao pai, que venceu a Volta dos profissionais em 1984. Passados dois anos da entrevista ao Cycling & Thoughts, o jovem Venceslau, agora com 22 anos, conquistou o princípio de um sonho: venceu a Volta a Portugal do Futuro, prova rainha do último escalão de formação.

No velódromo, foi tudo como imaginava


É o som das rodas a deslizar pela madeira, é o bailado das bicicletas ao longo da pista, é a adrenalina sentida a cada pedalada, é a simbiose perfeita entre o atleta e a máquina, é a forte ligação entre o ciclista e o ambiente que o rodeia. Esta é a magia do velódromo… Ou tão-somente a magia que quem vos escreve sentiu na primeira vez que pisou um velódromo.

Joni Brandão novo líder do ranking APCP


A Volta a Portugal provocou mudanças no ranking APCP ‘Ciclista do Ano’, com Joni Brandão (Sporting-Tavira) a assumir em Agosto a liderança da tabela nacional com 1177 pontos. O anterior líder, o campeão nacional Domingos Gonçalves (RP-Boavista), desceu a terceiro com 877 pontos, enquanto o vencedor da Volta, Raúl Alarcón (W52-FC Porto) subiu a segundo com 955 pontos.