Volta a Portugal: Vicente de Mateos triunfa em Azeméis, Alarcón mantém amarela

Chegou o dia de Vicente de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) erguer os braços para a vitória em Oliveira de Azeméis, depois de seis etapas a finalizar entre os cinco primeiros na meta. Na oitava etapa da 79ª Volta a Portugal Santander Totta, o espanhol superou sobre a linha o luso Daniel Mestre (Efapel), que assim viu fugir a recompensa aos companheiros, que trabalharam a maioria da jornada na frente do pelotão. Raúl Alarcón (W52-FC Porto) manteve a camisola amarela, embora com menos vantagem sobre os demais favoritos à geral.


Vicente de Mateos somou pelo terceiro ano consecutivo uma vitória de etapa na Volta, estando agora em 2º na geral. À RTP disse: “Estamos à procura da vitória desde que começou esta Volta e hoje conseguimos e estamos muito felizes”, acrescentando sobre a luta pela amarela: “Viemos com esse objectivo. Sabemos que é muito difícil, estamos a lutar contra uma grande equipa, mas vamos continuar a tentar.”

Questionado sobre o medo de perder a liderança, Raúl Alarcón afirmou à RTP: “Não tenho medo nenhum. Hoje defendemos o melhor que pudemos a camisola amarela. Tenho o apoio do Gustavo, que me dá segurança e amanhã tentaremos que fique mais definida a Volta.”
 
Vicente de Mateos triunfa em Oliveira de Azeméis (© João Fonseca / Volta a Portugal)

A oitava etapa ligou Gondomar a Oliveira de Azeméis em 159,8 km, com uma primeira passagem pela meta à falta de 30,5 km. Entre as dificuldades do dia superaram-se os prémios de montanha de Vila Viçosa (3ª cat. km 59,2), Gamarão (2ª cat. km 87,3) e Chão de Ave (3ª cat. km 107,4).

O antepenúltimo dia da Volta começou ainda antes do pelotão partir para a estrada, mais precisamente nas redes sociais de Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira). O italiano 2º na geral partilhou ter sido alvo de um controlo anti-doping, facto normal não fosse ter-lhe sido retiradas duas amostras de sangue, a segunda das quais por “não saberem onde metê-la deram-me de volta. Juro que em 20 anos de ciclismo nunca assisti a tal coisa”, desabafou Nocentini.

Também na mesma equipa, noticiou a agência Lusa que o galego Alejandro Marque “está a correr com uma fissura na costela desde a terceira etapa”.
 
Redes sociais de Rinaldo Nocentini
Voltando à corrida, após 15 km pedalados um duo de equipas lusas fugiu ao pelotão para formar a fuga do dia. O mais combativo da quinta etapa e que ontem passou a meta de bicicleta na mão, devido a um problema mecânico, Luís Afonso (LA Alumínios-Metalusa-BlackJack) juntamente com o russo Egor Silin (RP-Boavista) ganharam uma larga vantagem de 9 minutos à passagem pelo alto de Vila Viçosa, coroado pelo ciclista luso, enquanto no pelotão o companheiro de equipa João Matias foi buscar mais uns pontos para a sua camisola da montanha.

Seguiu-se a subida mais dura deste dia, em Gamarão, onde Luís Afonso voltou a ser o primeiro a passar. Ao longo dos 7,3 km de ascensão, o pelotão teve no seu comando a equipa vencedora do dia anterior, a Efapel, que aliada às pendentes da 2ª categoria levou o pelotão a perder diversas unidades, entre eles o líder da montanha, que ainda sofreu um furo.

A Efapel continuou no comando do pelotão, enquanto na frente Luís Afonso voltou a ser primeiro na última contagem de montanha em Chão de Ave, onde o duo contava com pouco mais de 5 minutos de vantagem.

Chegados à primeira passagem pela meta, à falta de 30,5 km, o pelotão já estava a 1 minuto do duo, tendo Egor Silin tentado deixar Luís Afonso para trás, mas sem sucesso. A dupla continuou na frente, até à falta de 24 km, com o luso a ser o mais persistente contra a perseguição da Efapel, sendo pela segunda vez dono do prémio da combatividade.

Com o pelotão reduzido pelas subidas e pelo trabalho da Efapel, a última meta volante do dia viu surgir a luta pelas bonificações entre os favoritos à geral, bonificando o máximo de segundos Gustavo Veloso (W52-FC Porto Porto), seguido de Vicente de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) e Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira).

A dupla espanhola ganhou espaço, mas o convite de De Mateos para trabalharem em conjunto na frente foi recusado por Veloso, sendo ambos alcançados pelo pelotão. Seguiu-se um trio na frente com Rui Vinhas (W52-FC Porto), David Rodrigues (RP-Boavista) e Bjorn Thurau (Kuwait-Cartucho.es).

David Rodrigues foi o primeiro a tentar a sorte em solitário, correspondido por Rui Vinhas. O ciclista alemão ainda chegou à dupla, mas não por muito tempo. O duo luso persistiu na frente até aos derradeiros 5 km.

A W52-FC Porto assumiu o comando da corrida nos momentos finais da jornada, não deixando ter êxito o ataque de Domingos Gonçalves (RP-Boavista) à falta de 2 km.

Com a linha de meta à vista, o sprint foi lançado e Daniel Mestre tudo fez para retribuir com uma vitória o trabalho da equipa ao longo do dia, mas viu ser-lhe negada a vitória por Vicente de Mateos, que foi mais forte em cima do risco. Seguiu-se na meta o italiano Marco Tizza (GM Europa Ovini), Veloso e Nocentini.

Com as bonificações alcançadas, De Mateos subiu a 2º na geral, a 14 segundos, descendo para 3º Nocentini, mas encurtando a distância para a camisola amarela a 19 segundos, enquanto Veloso em 4º também encurtou a diferença para 26 segundos.

Raúl Alarcón cruzou a meta em 8º a 4 segundos, mantendo a liderança da camisola amarela e do combinado. Vicente de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) manteve o comando na classificação por pontos, Krists Neilands (Israel Cycling Academy) na juventude, João Matias (LA Alumínios-Metalusa-BlackJack) na montanha e a W52-FC Porto a liderança por equipas.

Amanhã, a nona e penúltima etapa disputa-se entre a Lousã e Guarda, num total de 184,1 km com passagem pelo alto da Torre, na Serra da Estrela.
 
Vicente de Mateos supera sobre a linha Daniel Mestre (© Helena Dias)

Resultados Et8 [resultados completos]
1º Vicente de Mateos (Esp) Louletano-Hospital de Loulé 4:06:39
2º Daniel Mestre (Por) Efapel mt
3º Marco Tizza (Ita) GM Europa Ovini mt
4º Gustavo Veloso (Esp) W52-FC Porto mt
5º Rinaldo Nocentini (Ita) Sporting-Tavira mt
6º Krists Neilands (Lat) Israel Cycling Academy mt
7º Fabian Lienhard (Sui) Team Vorarlberg +4s
8º Raúl Alarcón (Esp) W52-FC Porto +4s
9º César Fonte (Por) LA Alumínios-Metalusa-BlackJack +4s
10º Alejandro Marque (Esp) Sporting-Tavira +4s

Classificação Geral
1º Raúl Alarcón (Esp) W52-FC Porto 36:23:13
2º Vicente de Mateos (Esp) Louletano-Hospital de Loulé +14s
3º Rinaldo Nocentini (Ita) Sporting-Tavira +19s
4º Gustavo Veloso (Esp) W52-FC Porto +26s
5º Amaro Antunes (Por) W52-FC Porto +34s
6º João Benta (Por) RP-Boavista +1:35s
7º António Carvalho (Por) W52-FC Porto +1:58s
8º Henrique Casimiro (Por) Efapel +2:08s
9º Sérgio Paulinho (Por) Efapel +2:08s
10º Alejandro Marque (Esp) Sporting-Tavira +2:08s
11º Daniel Mestre (Por) Efapel +3:22s
12º Hugo Sancho (Por) LA Alumínios-Metalusa-BlackJack +4:16s
13º Mikel Bizkarra (Esp) Euskadi-Murias +4:40s
14º Krists Neilands (Lat) Israel Cycling Academy +6:58s
15º Patrick Schelling (Sui) Team Vorarlberg +7:40s
16º César Fonte (Por) LA Alumínios-Metalusa-BlackJack +7:41s
17º Luís Gomes (Por) RP-Boavista +9:00s
18º Ricardo Mestre (Por) W52-FC Porto +9:54s
19º Davide Rebellin (Ita) Kuwait-Cartucho.es +10:36s
20º Rui Sousa (Por) RP-Boavista +10:48s
 ______
Ver também:

Sem comentários:

Enviar um comentário