Volta a Portugal: Amaro Antunes e Raúl Alarcón sentenciam Volta na etapa rainha

A W52-FC Porto delineou a táctica perfeita para sentenciar a 79ª Volta a Portugal Santander Totta em dia de etapa rainha. A glória da vitória coube a Amaro Antunes, cruzando a meta na Guarda lado a lado com o companheiro e líder da camisola amarela Raúl Alarcón.

Depois de alcançar a primeira vitória da sua carreira na Volta, Amaro Antunes mostrou-se satisfeito aos microfones da RTP: “Sabíamos desde início para o que íamos, fizemos uma estratégia e as coisas correram na perfeição. Estou muito feliz pela equipa me dar uma vitória, tanto a equipa como o Raúl. Na estrada dei o que tinha pelo Raúl e pela equipa e estamos muito felizes. Ao contrário do que muitas pessoas diziam, que a equipa estava desorganizada e com rivalidades, hoje mostrámos que a união faz a força e conseguimos dar uma machadada. A vitória creio que está quase garantida, mas falta cumprir um contra-relógio e creio que o Raúl é o justo vencedor. O Raúl foi o camisola amarela desde quase o início da Volta, é ele que merece ter a camisola, foi o mais forte e eu fico satisfeito se ficar com o segundo lugar.”


A Torre ditou também o fim da luta pela geral por parte de Gustavo Veloso. Sobre o companheiro de equipa, Amaro Antunes referiu: “O próprio Gustavo sabia que hoje tínhamos de jogar a corrida, porque não queríamos correr o risco de chegar ao contra-relógio com adversários perto. Ele próprio compreendeu isso. Mas atrás não sabia como ia a corrida, eu e o Raúl apenas pensávamos em pedalar rápido, porque queríamos alargar a distância. Sabíamos que, chegando com alguma distância no alto da Torre, depois até lá abaixo nós unidos podíamos fazer a diferença e foi isso que aconteceu. Estou muito satisfeito, porque esta equipa merece por todo o trabalho que tem vindo a desenvolver.”

Quanto a Raúl Alarcón, manteve-se firme na liderança alcançada desde o final da primeira etapa: “Penso que fizemos uma grandíssima Volta. Estou feliz, fizemos uma táctica perfeita. Estamos em primeiro e segundo, temos ido dia-a-dia e desfrutando”, afirmou à RTP.
 
Amaro Antunes vence etapa rainha onde Raúl Alarcón é 2º e mantém amarela (© João Fonseca / Volta a Portugal)


À nona etapa chegou a temível Torre, mas não na chegada. O pelotão partiu da Lousã para 184,1 km até à chegada de 3ª categoria na Guarda. Numa jornada de sobe e desce constante, os prémios de montanha surgiram logo aos primeiros quilómetros com uma 3ª categoria ao km 6,5, a categoria especial da Torre ao km 114,7 e mais três 3ªs categorias ao km 158,9, a Guarda ao km 174,8 e a subida final.

Após a primeira subida do dia, coroada por Egor Silin (RP-Boavista) logo seguido pelo líder da camisola azul João Matias (LA Alumínios-Metalusa-BlackJack), o pelotão dividiu-se, ficando na frente um numeroso grupo de 26 corredores, incluindo dois vencedores da Volta da W52-FC Porto, Ricardo Mestre (2011) e Rui Vinhas (2016), e os dois primeiros classificados na juventude Krists Neilands (Israel Cycling Academy) e Luís Gomes (RP-Boavista).

A fuga foi então composta por Ricardo Mestre (W52-FC Porto) e os companheiros Rui Vinhas e Joaquim Silva; Rafael Silva (Efapel) e os companheiros António Barbio e Jesús del Pino; Egor Silin (RP-Boavista) e os companheiros Domingos Gonçalves, Filipe Cardoso e Luís Gomes; César Fonte (LA Alumínios-Metalusa-BlackJack); Jesús Ezquerra (Sporting-Tavira) e os companheiros Luís Fernandes e Mário González; David de la Fuente (Louletano-Hospital de Loulé) e o companheiro Hélder Ferreira; Krists Neilands (Israel Cycling Academy) e o companheiro José Manuel Diaz; Stef Krul (Metec-TKH Continental Cyclingteam p/b Mantel); Antonino Parrinello (GM Europa Ovini) e o companheiro Marco Tizza; Patrick Schelling (Team Vorarlberg); Beñat Txoperena (Euskadi-Murias) e o companheiro Txomin Juaristi; o primeiro camisola amarela Damien Gaudin (Armée de Terre) e o companheiro Bryan Alaphilippe.

Numa etapa em que a Torre prometia marcar a 79ª edição da Volta a Portugal, assim sucedeu ao longo dos seus 27,4 km de extensão dizimando o grupo da frente e também o pelotão, que ficou reduzido a um grupo restrito com a presença do camisola amarela Raúl Alarcón, enquanto Gustavo Veloso ficava definitivamente para trás.

Na frente, o russo Egor Silin tentou escalar a Torre em solitário, mas depressa foi alcançado por seis companheiros da fuga inicial e Amaro Antunes, que entretanto tinha atacado no grupo dos favoritos. À falta de 79 km para a meta, chegou também ao grupo Alarcón.

Deste grupo, formou-se um poderoso quarteto na frente da corrida composto por três elementos da W52-FC Porto – Raúl Alarcón, Amaro Antunes e Ricardo Mestre – acompanhados pelo líder da juventude Krists Neilands.

O alto da Torre foi coroado por Amaro Antunes, enquanto no grupo perseguidor dos mais directos rivais à amarela trabalhava incansavelmente Alejandro Marque (Sporting-Tavira) para que Rinaldo Nocentini se mantivesse na luta pela geral. Nesse grupo estava também o 2º na geral Vicente de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé).

À falta de 34 km para o final da jornada, o quarteto passou a trio com Ricardo Mestre a dar por terminado o trabalho feito até então. Já De Mateos via aumentar o grupo com a chegada de Sérgio Paulinho (Efapel) ao lado do companheiro de equipa Henrique Casimiro, contando também com a presença entre outros de João Benta (RP-Boavista), Hugo Sancho (LA Alumínios-Metalusa-BlackJack) e Mikel Bizkarra (Euskadi-Murias).

No trio dianteiro, à falta de 16 km foi a vez do mais combativo do dia Krists Neilands ficar para trás, jovem de 22 anos que passou em 2016 pela norte-americana Axeon Hagens Berman, está a liderar a camisola da juventude com uma notável performance e no final da jornada subiu a 10º na geral.

Em vez de descer, a vantagem do duo na frente só tendia a aumentar, contando Raúl Alarcón e Amaro Antunes com 5 minutos na passagem pelo aviso dos derradeiros 5 km, diferença que se manteve à entrada dos 3 km da subida final para a meta.

Longe dos adversários, a dupla da W52-FC Porto manteve-se unida na chegada à Guarda, cruzando a linha lado a lado com Amaro Antunes a conquistar a etapa e a subir a 2º na geral, enquanto Raúl Alarcón manteve a camisola amarela, estando na geral a 31 segundos do companheiro de equipa e a mais de 5 minutos dos restantes rivais.

Krists Neilands fechou o pódio da jornada a 1 minuto e 28 segundos, chegando a mais de 4 minutos o grupo encabeçado por Vicente de Mateos, que desceu a 3º na geral, a 5 minutos e 4 segundos de Alarcón.

O pelotão chegou a conta-gotas à Guarda, com Gustavo Veloso a cruzar a linha a 41 minutos e 49 segundos, junto aos companheiros de equipa Rui Vinhas, Samuel Caldeira e Joaquim Silva.

Raúl Alarcón manteve assim a liderança da camisola amarela e o companheiro Amaro Antunes subiu à liderança da montanha e do combinado. Vicente de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) manteve o comando na classificação por pontos, Krists Neilands (Israel Cycling Academy) na juventude e a W52-FC Porto a liderança por equipas.

Amanhã, a décima e última etapa disputa-se em Viseu, num decisivo contra-relógio individual de 20,1 km [ordem de partida].

Resultados Et9 [resultados completos]
1º Amaro Antunes (Por) W52-FC Porto 4:56:55
2º Raúl Alarcón (Esp) W52-FC Porto mt
3º Krists Neilands (Lat) Israel Cycling Academy +1:28s
4º Vicente de Mateos (Esp) Louletano-Hospital de Loulé +4:41s
5º Rinaldo Nocentini (Ita) Sporting-Tavira +4:44s
6º João Benta (Por) RP-Boavista +4:48s
7º Alejandro Marque (Esp) Sporting-Tavira +4:50s
8º Henrique Casimiro (Por) Efapel +4:50s
9º Hugo Sancho (Por) LA Alumínios-Metalusa-BlackJack +4:57s
10º David Rodrigues (Por) RP-Boavista +5:07s
11º António Carvalho (Por) W52-FC Porto +5:09s
12º Mikel Bizkarra (Esp) Euskadi-Murias +5:12s
13º Patrick Schelling (Sui) Team Vorarlberg +5:15s
14º Sérgio Paulinho (Por) Efapel +5:22s
15º Egor Silin (Rus) RP-Boavista +5:47s
16º César Fonte (Por) LA Alumínios-Metalusa-BlackJack +15:23s
17º Luís Gomes (Por) RP-Boavista +15:23s
18º Luís Afonso (Por) LA Alumínios-Metalusa-BlackJack +15:23s
19º Bjorn Thurau (Ger) Kuwait-Cartucho.es +15:23s
20º Jesús del Pino (Esp) Efapel +15:23s

Classificação Geral
1º Raúl Alarcón (Esp) W52-FC Porto 41:19:59
2º Amaro Antunes (Por) W52-FC Porto +31s
3º Vicente de Mateos (Esp) Louletano-Hospital de Loulé +5:04s
4º Rinaldo Nocentini (Ita) Sporting-Tavira +5:12s
5º João Benta (Por) RP-Boavista +6:32s
6º Henrique Casimiro (Por) Efapel +7:07s
7º Alejandro Marque (Esp) Sporting-Tavira +7:07s
8º António Carvalho (Por) W52-FC Porto +7:16s
9º Sérgio Paulinho (Por) Efapel +7:39s
10º Krists Neilands (Lat) Israel Cycling Academy +8:31s
11º Hugo Sancho (Por) LA Alumínios-Metalusa-BlackJack +9:22s
12º Mikel Bizkarra (Esp) Euskadi-Murias +10:01s
13º Patrick Schelling (Sui) Team Vorarlberg +13:03s
14º César Fonte (Por) LA Alumínios-Metalusa-BlackJack +23:13s
15º Luís Gomes (Por) RP-Boavista +24:29s
16º Jesús del Pino (Esp) Efapel +30:38s
17º Ricardo Mestre (Por) W52-FC Porto +30:46s
18º Egor Silin (Rus) RP-Boavista +31:08s
19º Luís Afonso (Por) LA Alumínios-Metalusa-BlackJack +32:08s
20º Daniel Mestre (Por) Efapel +33:37s
 ______
Ver também:

1 comentário:

  1. É de enaltecer Nuno Ribeiro por três motivos:
    1- A coragem por ter atacado com todos os elementos da equipa pela segunda vez na Volta. Não se limitou a defender e a esperar que fossem as outras equipas a marcar uma posição.
    2- Coragem por deixar "sozinho" o Gustavo Veloso num momento crítico. António Carvalho estava bem e poderia ser útil no grupo dos favoritos (o que não veio a acontecer), mas esta decisão revela bem a sua liderança no seio da equipa. Gustavo acabou por ter a ajuda do Rui Vinhas e Joaquim Silva.
    3- A grande força da equipa, para além das qualidades individuais está na união da mesma, e na forma como a equipa foi gerida quer na edição do ano passado, quer nesta edição. O líder era um mas circunstâncias da corrida fizeram com que fosse outro. E a equipa adaptou-se bastante bem das duas formas e isso só é possível através duma forte união e através duma Liderança correta do seu Director Desportivo.


    Esta equipa começa a pedir algo mais em termos de provas. Veremos o que lhes espera em 2018

    ResponderEliminar