Gustavo Veloso: “Temos uma equipa forte”

O Cycling & Thoughts entrevistou Gustavo Veloso (W52-FC Porto) em Belém, na apresentação das equipas da 79ª Volta a Portugal Santander Totta. O galego de 37 anos irá tentar vencer a sua terceira Volta, depois dos triunfos alcançados em 2014 e 2015.


Gustavo Veloso chega à 79ª edição da Volta com o objectivo primordial de conquistar a camisola amarela.

GV: “Espero discutir a Volta como todos os anos. Penso que fiz um bom trabalho até agora, chego numa condição muito parecida a todos os anos e agora há que ver na estrada como os rivais se comportam e qual o lugar que me toca no último dia.”

O percurso deste ano difere um pouco da edição anterior, tornando-o mais fácil na sua opinião.

GV: “Penso que o percurso é um pouco mais fácil do que no ano passado. O facto de apenas se fazer a subida da Torre uma vez, se calhar haverá menos diferenças no final. A etapa da Sra. da Graça também não é tão dura como antes. E etapas como a do ano passado que se subia o S. Macário, uma montanha muito dura e que impunha respeito, este ano não temos. No final, a Volta é a Volta e os atletas é que fazem as corridas duras. Vamos ver a velocidade a que se corre, o calor que faz e, dia após dia, há que ir pensando como se faz a corrida e ver o que acontece.”

Em 2016, a partir do final da terceira etapa, Gustavo Veloso deixou a luta pela geral nas mãos do companheiro Rui Vinhas, que chegou à liderança após uma fuga de êxito. A partir desse momento, defendeu a liderança do companheiro de equipa, não deixando de ser ofensivo na luta por etapas. Em 2017, que Gustavo veremos na Volta?

GV: “Não sei que Gustavo se vai ver na Volta. O ano passado, a corrida fez com que tivesse uma postura mais em defesa do Vinhas do que tirar tempo. Isso ajudou-me a poder discutir as etapas. Os rivais arrancavam e eu ia na roda, não colaborava, porque o líder estava na minha equipa. Isso fez com que chegasse ao final com a liberdade de discutir as etapas. Este ano não sei como vai ser. Nas anteriores Voltas nunca tive a ambição de ganhar etapas, a minha missão é sempre ganhar a geral, mas uma coisa leva à outra. Quando estás a discutir a geral vais estar na frente e se podes ganhar tentas ganhar.”

A W52-FC Porto chega à Volta a Portugal como a mais vitoriosa do pelotão português, somando 15 vitórias.

GV: “Temos uma equipa forte. Temos dentro da mesma equipa três ciclistas que já ganharam a Volta [Rui Vinhas, Gustavo Veloso e Ricardo Mestre], mais três que terminaram nos dez primeiros [António Carvalho, Amaro Antunes e Raúl Alarcón] e os outros dois são o [Samuel] Caldeira, que já tem muitos anos de experiência trabalhando na Volta para diferentes líderes, e já ganhou 8 Voltas como colega de equipa, e temos o Joaquim Silva que já começa a ser um veterano da Volta. A equipa está forte e compensada.”

Gustavo Veloso sonha assim com a amarela em Viseu.

GV: “Esse é o objectivo. É para isso que treinei, que me cuidei. Mas claro, há que concretizá-lo na estrada.”

Gustavo Veloso (© Helena Dias)

W52-FC Porto na 79ª Volta a Portugal (© Helena Dias)

Sem comentários:

Enviar um comentário