Entrevista a Nuno Ribeiro: Volta a Portugal e escalão Pro Continental são objectivos da W52-FC Porto

Nuno Ribeiro prepara-se para lutar uma vez mais pela vitória da Volta a Portugal no comando da equipa W52-FC Porto. Na apresentação das equipas realizada em Belém, o Cycling & Thoughts entrevistou o director desportivo, que também ele venceu a Volta em 2003 pela equipa LA Pecol.


A estrutura da W52-FC Porto tem mudado de designação desde que subiu ao escalão Continental, mas no total conta com quatro vitórias da Volta a Portugal com Rui Vinhas (2016), Gustavo Veloso (2015/2014) e Alejandro Marque (2013). Em 2017, a equipa azul e branca irá tentar conquistar a camisola amarela pelo quinto ano consecutivo.

NR: “A equipa vai encarar esta Volta com os mesmos objectivos que encarou nos outros quatro anos. Vai trabalhar muito para conseguir alcançar mais uma vez a vitória.”

O trabalho de Nuno Ribeiro como director desportivo tem-se pautado pela oportunidade dada a todos os ciclistas de mostrarem as suas qualidades, fazendo rodar a equipa ao longo da temporada nas diversas competições disputadas.

NR: “É uma forma de tentar motivar os ciclistas e manter a equipa bastante unida nos objectivos. Depois torna-se muito mais fácil trabalhar os ciclistas, porque todos têm a sua oportunidade. Uns aproveitam de uma maneira, outros aproveitam de outra, mas o meu objectivo é dar oportunidade a todos para quando chegar o objectivo principal, que é a Volta a Portugal, estarmos centrados na vitória.”

A equipa W52-FC Porto chega à Volta a Portugal com 15 vitórias esta temporada, entre etapas e classificações gerais.

NR: “A equipa tem objectivos traçados desde o início do ano. Começa com o intuito de conseguir o maior número de vitórias, embora o principal objectivo seja a Volta a Portugal. Fizemos uma época excelente, ganhámos as corridas mais importantes do nosso calendário e conseguimos alcançar algumas vitórias no estrangeiro, nomeadamente em Espanha. Estamos a dar passo a passo e as vitórias são importantes para nós e para os ciclistas.”

Os principais patrocinadores, W52 e Futebol Clube do Porto, permanecem ao lado da estrutura dirigida por Nuno Ribeiro.

NR: “Temos um contrato de mais 3 anos com o Porto. Temos feito um bom trabalho e vamos continuar a trabalhar na evolução da equipa para tentar manter o maior número de ciclistas. A partir daí, tentar ser melhor a cada ano, mais profissionais e se possível conseguir um calendário ainda maior e internacional, para tentar alcançar mais objectivos no estrangeiro.”

O objectivo de subir ao escalão Profissional Continental está nos planos da equipa.

NR: “É uma possibilidade a ser alcançada, mas tem de se trabalhar a longo prazo. Temos o objectivo de passar a Profissional Continental, mas para nos mantermos lá 3 ou 4 anos. Se for para passar 1 ano e baixar outra vez de escalão é pior para nós, é contraproducente. Tem de se trabalhar com cabeça, tronco e membros para, quando se conseguir esse objectivo, tentar manter o mais tempo possível.”

A W52-FC Porto enfrenta a 79ª edição da Volta a Portugal com Rui Vinhas, Raúl Alarcón, Ricardo Mestre, António Carvalho, Gustavo Veloso, Joaquim Silva, Samuel Caldeira e Amaro Antunes, líder do Ranking APCP Ciclista do Ano.

Nuno Ribeiro com a equipa W52-FC Porto na apresentação da Volta a Portugal (© Helena Dias)

Sem comentários:

Enviar um comentário