Entrevista a Paulo Silva, 2º na Taça de Portugal Sub-23

Paulo Silva é um dos corredores da estreante equipa de clube Liberty Seguros-Carglass. Acompanhamos desde o escalão júnior este jovem corredor, que aos 20 anos completa a segunda temporada no escalão sub-23, mantendo a regularidade de resultados alcançada nos anos transactos.

Em 2015 voltou a destacar-se nos lugares cimeiros do seu escalão, alcançando o 2º lugar na Taça de Portugal Sub-23, a mesma posição lograda em 2014 na Taça de Sub-20. Na totalidade das cinco provas pontuáveis da Taça, Paulo Silva terminou entre os dez primeiros sub-23: 2º na Volta a Albergaria, 4º no Grande Prémio Anicolor, 5º no Grande Prémio Mortágua, 6º no Troféu Oliveira de Azeméis e 7º no Memorial Bruno Neves. Somou igualmente em sub-23 o 2º lugar no Grande Prémio Jornal de Notícias e o 3º lugar no Grande Prémio Abimota. Com a temporada a chegar ao fim, falámos com Paulo Silva para medir o pulso a mais um ano pontuado de bons resultados.

Paulo Silva (© Helena Dias)

P.- Satisfeito com o 2º lugar na Taça de Portugal Sub-23?

"Sim, estou satisfeito. Fui para esta competição com o objectivo de discutir a geral da Taça sub-23 e fazer um bom lugar na geral de elites. Acabei em 2º, o que foi muito bom. Na primeira prova fui 11º na geral de elites, uma prova um pouco dura onde só chegaram pouco mais de 15 atletas no pelotão. Já na segunda e terceira provas, as coisas não correram da melhor maneira. Acabei por ter uma queda nos últimos 3 km, o que me impediu de fazer um bom lugar e no dia seguinte, depois de uma noite muito mal dormida pelas dores que senti da queda, ressenti-me na etapa acabando por não fazer o lugar que estava à espera e perdendo alguns pontos para os principais adversários. O último fim-de-semana da Taça acabou por correr bem, recuperei os pontos perdidos e a equipa acabou por ganhar a última etapa em sub-23, colocando cinco atletas no Top 5."

P.- Que objectivos tinhas para este ano? Cumpriste todos?

"Tinha por objectivo entrar bem na temporada, mas quando já me encontrava numa forma razoável e prestes a começar a época tive uma tendinite no joelho durante quatro semanas, que me fez desanimar muito. Depois dessas semanas, consegui recuperar com ajuda do meu massagista Paulo Silva e foi começar praticamente do zero. Essencialmente, os meus objectivos passavam pela Taça de Portugal, o Campeonato Nacional, tentar fazer Top 15 nas provas com as equipas continentais, estar na discussão da classificação sub-23 e ajudar a equipa no que me pediam. O trabalho em equipa levou-nos a alcançar vitórias no Troféu Luso-Galaico e na Volta às Terras de Santa Maria. Fiquei satisfeito com os resultados obtidos, menos no Campeonato Nacional. Estava à espera de fazer um melhor resultado. Também fiquei um pouco triste de ainda não fazer parte da Selecção Nacional, pois era mais um factor de motivação, mas vou continuar a fazer o meu trabalho e esperar que surja essa oportunidade."

P.- Qual a corrida que destacas este ano?

"Destaco o Grande Prémio JN, consegui estar sempre entre os melhores da geral ganha pelo meu companheiro de treino António Carvalho (W52-Quinta da Lixa). Também podia destacar o Troféu Luso-Galaico, onde eu e mais dois elementos da equipa controlámos mais de 100 km e o meu colega Luís Gomes conseguiu a vitória."

P.- Que expectativas tinhas com a criação da Liberty Seguros-Carglass e da tua chamada à equipa?

"Tinha grandes expectativas. Sabia que ia ser uma equipa muito forte e com grandes condições, onde toda a equipa, treinadores e staff trabalharam ao longo do ano para que nunca nos faltasse nada."

P.- Como viste a tua progressão do ano passado para este segundo ano de sub-23?

"Penso que evolui bastante. Perdi 4 kg de uma época para a outra e senti bastante diferença a nível de rendimento. Em algumas provas não esperava conseguir estar com os profissionais no Top 15 e tive oportunidade de fazer um bom lugar. Agora só me resta continuar a trabalhar e evoluir mais."

P.- Vais permanecer na Liberty Seguros-Carglass em 2016?

"Ainda não decidi o meu futuro para a próxima época. Seja qual for, só tenho de agradecer a todas as pessoas que estiveram comigo ao longo destes anos e continuam a acreditar em mim para a próxima temporada. Agradeço a toda a minha família, amigos e à equipa pelo apoio que me tem dado. E, claro, aos meus companheiros de treino, especialmente ao António Carvalho por me meter sempre na roda a sofrer."
 
Paulo Silva na fuga do Circuito da Moita (© Helena Dias)
Paulo Silva 2º por equipas no Circuito da Moita (© Helena Dias)
______
(escrito em português de acordo com a antiga ortografia)

Sem comentários:

Enviar um comentário