Luís Gomes, a simbiose perfeita entre pista e estrada

Luís Gomes viu o ciclismo entrar na sua vida aos 9 anos de idade. Estávamos em 2003, ano no qual deu as primeiras pedaladas na Associação Desportiva Recreativa Ases Penafiel. Nessa casa viveu os escalões de iniciados, infantis, juvenis, cadetes e juniores, começando desde cedo a construir a sua história na modalidade. Entre outros destacados resultados, em 2009 foi 2º na Volta a Portugal de Cadetes, alcançando a glória tanto na estrada como em pista, vertente onde obteve vitórias em diversas disciplinas e se sagrou campeão nacional em juniores. Foi desenvolvendo uma crescente maturidade e em 2013 continuou a apurar as faculdades já no escalão sub-23 na equipa Maia-Bicicletas Andrade, onde se encontra até aos dias de hoje.

Aos 20 anos, faz da união pista/estrada a simbiose perfeita no crescimento enquanto ciclista. Na pista demonstra ser um crescente valor, vencendo provas da Taça e subindo ao pódio no Campeonato Nacional. Em estrada ombreia nas metas com os profissionais, tendo terminado a Prova de Abertura em 9º e a Clássica da Primavera em 10º, além dos Challenges de Tavira e Loulé no pódio em 2º e 3º respectivamente.

 
Luís Gomes no Circuito de Alcobaça (Foto Helena Dias / APCP)

Recentemente encontra-se a disputar a Taça Nacional de Circuitos, lutando lado a lado pela linha de meta com os profissionais das equipas continentais lusas. Conquistou o Circuito da Malveira em sub-23 e foi 2º neste escalão na Moita, sendo 4º na meta. Luís Gomes anseia que a sorte o acompanhe mais sobrepondo-se aos furos em final das jornadas, que o têm afastado da luta pela vitória nos Circuitos, como nos confidenciou: «A partir de um momento comecei a pensar na geral, mas por azar não consegui estar na disputa. Aconteceu-me sempre alguma coisa na parte final e agora o objectivo passa por tentar ganhar nos sub-23 e tentar também alguma coisa em elites».

Mesmo em final de temporada, Luís Gomes não vira as costas à luta pelos bons resultados que o acompanharam ao longo do ano: «O balanço da temporada é positivo. Acho que consegui ter um nível agradável, estando sempre na disputa dos sub-23, vencendo e estando no pódio de algumas provas. Acho que consegui fazer uma boa temporada». Para além do árduo trabalho de treino, talvez o segredo deste valor luso resida na sua ambivalência enquanto ciclista, unindo a pista à estrada: «Em termos de técnica a pista é muito boa. No início da temporada serve para treinarmos e ganharmos um ritmo competitivo, trazendo essa vantagem para a estrada».

Daí que o futuro possa passar pela continuidade nas duas vertentes, estando totalmente em aberto o próximo ano: «Se for possível conciliar pista e estrada, claro que gostaria de continuar a fazer as duas. Para 2015 ainda não sei nada de concreto, mas espero continuar no ciclismo. Vamos ver se aparecem novos projectos». Uma coisa é certa, tal como todos os ciclistas, também para Luís Gomes «Ir à Selecção é sempre um objectivo. Este ano fui apenas ao estágio, não indo a qualquer competição. Mas ambiciono sempre representar a Selecção Nacional e vamos ver para o ano como corre a temporada».

O jovem Luís Gomes demonstra saber estar em equipa e fazer valer a sua individualidade quando necessário.

Luís Gomes no Circuito da Moita (Foto Helena Dias / APCP)

(escrito em português de acordo com a antiga ortografia)

Sem comentários:

Enviar um comentário